Hugo Félix bisa pela seleção sub-19 na qualificação direta para o Campeonato da Europa da categoria

Com um ‘bis’ de Hugo Félix – irmão de João Félix (Chelsea) –, aos 49’ e 81’, após um golo madrugador de Gabriel Brás (5’), a seleção sub-19 de Portugal venceu este sábado, no Estádio Cidade de Barcelos, a Rep. Checa por 3-0, em jogo da 2.ª jornada do Grupo 4 da Ronda de Elite de qualificação, garantiu o primeiro lugar no agrupamento e apurou-se para a fase final do Campeonato da Europa da categoria, que irá decorrer de 3 a 16 de julho, em Malta.

A seleção orientada por Joaquim Milheiro aproveitou assim, da melhor maneira, o empate (1-1) entre as outras duas formações do grupo, a Croácia e Suécia, ao início da tarde, tornando o jogo com a Croácia, na terça-feira, dia 28 do corrente mês, de novo em Barcelos – onde este sábado 5.128 espectadores festejaram o apuramento luso -, um mero cumprir de calendário e formalidade.

Hugo Félix, natural de Viseu e avançado do Benfica B, marcou o seu primeiro golo numa recarga (após defesa do guardião checo, Dvorak), servido por Chermiti, fazendo o 2-0. O ponta-de-lança de 19 anos fechou o marcador (3-0) aos 81’, num remate frontal à entrada da área. Antes, e logo a abrir o jogo (5’), o defesa-central Gabriel Brás, de cabeça, correspondera a um canto de João Neves (1-0), levando ao desespero os checos, orientados por Radek Bejbl.

«Quando tens jogadores comprometidos e inteligentes, tudo é mais fácil. Ao longo destes anos, a Federação Portuguesa de Futebol conseguiu criar uma cultura de vitória que cria contextos, relações para que depois conseguimos ter estes resultados. Como consequência, estamos em primeiro no ranking e queremos assumir essa liderança. Como me sinto? Extremamente feliz. Os jogadores são os grandes responsáveis pela qualificação, que se iniciou em novembro de 2018, quando nos começámos a preparar», afirmou, no final, o selecionador nacional do escalão, Joaquim Milheiro, citado no cite da FPF.

«A liderança no ranking traz-nos mais responsabilidade e é um grande estímulo. Temos de catapultar esse posicionamento e transformá-lo em energia, capacidade e confiança, num contexto de pressão sadia que faz os jogadores crescer. Conseguimos uma grande intensidade, a roçar a perfeição, mas os jogadores têm na cabeça que estamos na metade do nosso percurso, na metade do sonho. Queremos mais, queremos fazer história», sublinhou Joaquim Milheiro a propósito, sem descurar a hipótese de Portugal conquistar o Euro.

«O título europeu? A seu tempo refletiremos sobre isso. Vamos passo a passo, para sermos competentes. Agora, é desfrutar e recuperar para terça-feira e fazer um jogo de qualidade na terça-feira, frente à Croácia», concluiu o selecionador nacional de sub-19.

Sob arbitragem do inglês Robert Jones, assistido pelo compatriota Wade Smith e pelo ucraniano Oleksandr Berkut, e com Oleksii Derevinskyi (Ucrânia) como 4.º árbitro, as equipas alinharam:

– PORTUGAL: André Gomes; Gonçalo Esteves, Gabriel Brás, João Muniz e Martim Marques; João Neves (Samuel Justo, 46’), Dário Essugo e Sá (Mateus, 57); Carlos Borges (Diego Moreira, 57), Youssef Chermiti (Rodrigo Ribeiro, 57) e Hugo Félix (Nuno Félix, 88’);

Disciplina: cartão amarelo a Sá (41’).

– REP. CHECA: Dvorak; Krejci, Kricfalusi, Coudek e Kubr (Cahel, 75’); Sin (Sloncik, 62’), Samek e Ambros; Masek (Beran, 690), Smiga (Vachousek, 69’) e Spatenka;

Leave a Reply