Rúben Dias: “Não há espaço para cometer erros, temos de aumentar a concentração para entrar nestes jogos”

Declarações de Rúben Dias, defesa-central da Seleção portuguesa, durante a antevisão ao jogo com a Suíça, referente aos oitavos de final do Campeonato do Mundo.

«Estamos numa fase diferente da competição, mas chegámos aqui como primeiros classificados do grupo. Não é preciso mudar muita coisa. É preciso ter a consciência de que é um jogo apenas, nada mais. Não há espaço para cometer erros, temos de aumentar a concentração para entrar nestes jogos que são decididos nos detalhes. Estamos prontos, venham eles», disse o jogador do Manchester City:

«Esperamos um jogo de alto nível, como são todos nesta fase da competição. Estamos concentrados em nós, temos consciência do que a Suíça traz para o jogo mas, acima de tudo, pensamos no que podemos fazer e no que temos para dar», acrescentou.

Questionado se espera uma Suíça mais fechada na defesa, como foram os jogos com o Gana e o Uruguai: «Esperamos um jogo diferente, pelo contexto, mas principalmente pelo que é a equipa da Suíça, pelas armas que tem e por querer disputar o jogo 50/50. É a mentalidade que eles têm, é isso que esperamos.»

Para Rúben Dias, «não há favoritos»: «São duas equipas com valor individual e coletivo, veremos no final quem sai por cima. Não há favoritos numa fase a eliminar duma competição como esta.»

Questionado se as críticas a Cristiano Ronaldo são confundidas com desrespeito para com o capitão da Seleção, Rúben Dias desviou o assunto e diz que tem sentido a Imprensa envolvida e a apoiar a equipa e os jogadores de Portugal.

«Essa pergunta deve ser colocada a Cristiano Ronaldo, não a Rúben Dias. Nesta fase da competição sente que cada vez mais a Imprensa está atrás da Seleção, do Ronaldo e de todos os jogadores. Com o avançar da competição é preciso que todos estejamos unidos para termos mais força e uma energia boa entre nós», atirou o central em conferência de imprensa.

Questionado se o ataque é o ponto mais forte da Seleção Nacional, Rúben Dias frisou que Portugal está bem serviço em todos os sectores.

«Não somos uma grande equipa apenas pelos jogadores que temos no ataque, mas também pelos do meio-campo, da defesa… e quando fazemos o onze, não só por esses, também pelos que temos no banco. A equipa vale pelo seu todo, pelos que jogam e pelos que não jogam. Temos qualidades em todas as posições», disse em conferência de imprensa de antevisão ao jogo dos oitavos de final do Campeonato do Mundo com a Suíça, na terça-feira.

Diferenças ao jogar com Danilo, Pepe ou António Silva no centro da defesa: «Mudam pequenos detalhes, todos somos cada um à sua maneira. O entrosamento que temos entre todos é bom. É a primeira vez que António Silva está connosco, mas pela qualidade dele a adaptação foi rápida. O importante é que todos estejamos preparados e disponíveis caso seja necessário. Não cabe a mim decidir quem joga, mas sim estar preparador para dar o meu melhor, seja com quem for ao meu lado.»

Gestão mental para quem está em risco de exclusão para os quartos de final: «Essa é uma questão que depende da forma como estamos habituados a jogar nesta posição. Numa competição como esta ninguém quer ficar de fora, mas se tiver de receber amarelo numa situação que mereça a pena é isso que faço. É algo que está presente nas nossas cabeças, mas faz parte do jogo e temos de conseguir jogar com essa liberdade. Manter o foco no jogo é o mais importante. Temos jogadores inteligentes e conscientes do que é preciso nos vários momentos do jogo.»

Treinar penáltis: «Estamos preparados, caso seja necessário. Foi algo que pensámos desde o início do estágio. Temos sempre esse aspeto em mente porque faz parte de uma competição como esta. É um aspeto em que há uma ponta de sorte, mas também conta a qualidade de execução, por isso, é algo que temos vindo a praticar.»

Apoio nas bancadas: «Temos sentido muito o calor que os adeptos têm criado nos jogos, tem-se sentido o apoio e a paixão pela nossa equipa. Esperamos vir a contar com cada vez mais adeptos.»

Durante a conferência de imprensa de antevisão ao jogo com a Suíça, para os oitavos de final do Campeonato do Mundo, foram várias as questões colocadas em inglês a Rúben Dias. E a todas o internacional português começou por responder em inglês até ser alertado pela responsável de Imprensa da FIFA de que devia responder em português.

Todas, menos uma, em que é o próprio defesa-central que se apercebe do erro e solta um palavrão, em bom português: «F….!» Seguiram-se risos na sala de imprensa e Rúben Dias lá prosseguiu na língua de Camões.

Antes, momento caricato. Um jornalista árabe pergunta a Rúben Dias se «está triste com a lesão de Riyad Mahrez, que o impede de estar no jogo amanhã». Este esclarece… em inglês: «Mahrez is not here, my friend.» Mahrez é companheiro de equipa de Rúben Dias no Manchester City, é argelino e não, não está no Catar… pelos menos para disputar o Mundial e muito menos para jogar contra Portugal.

Leave a Reply