Gonçalo Ramos fez um balanço positivo da época até agora e apontou os motivos

Em entrevista à BPlay, Gonçalo Ramos fez um balanço da temporada do Benfica e também da sua a nível pessoal, ele que leva 14 golos (e três assistências) em 21 partidas pelos encarnados até ao momento.

«Acho que é um balanço muito positivo, tenho conseguido alcançar os meus objetivos, tanto no Benfica como na Seleção Nacional, mas ainda sou novo e ainda está tudo no início. Mais do que a boa forma que tenho mostrado, isto representa o sucesso da equipa e estamos a fazer um dos melhores arranques da história do clube. Isso reflete-se em números individuais, tanto para mim como para os meus colegas», começou por dizer o avançado, peça importante para Roger Schmidt, treinador para o qual Gonçalo Ramos só tem elogios.

«É muito bom treinador, um dos melhores com quem trabalhei. Eu vinha na expectativa [juntou-se à pré-época mais tarde], treinador novo… Tenho crescido muito como jogador e como pessoa. Acho que, mais do conhecimento que o mister tem dentro do campo, que nos faz jogar bem, é, sobretudo, a forma como lida connosco. Além da relação de treinador tenta ter uma de amizade com todos os jogadores e, estando mais perto de nós, é mais fácil que tudo corra bem», sustentou o internacional português.

A excelente campanha do Benfica na Liga dos Campeões colocou a equipa de Roger Schmidt no primeiro lugar do grupo onde estavam PSG, Juventus e Maccabi Haifa e Gonçalo Ramos, em entrevista à BPlay, revelou o segredo da caminha encarnada na liga milionária.

«Passar em primeiro com PSG, Juventus e Maccabi, que também era equipa muito forte apesar de não ter um nome como os outros, foi muito importante e mais um motivo para festejar. O principal segredo para estes jogos é sermos nós mesmos, mantermos a identidade e não olhamos para ninguém como se fosse um bicho papão ou um adversário impossível. Foi essa a receita para o nosso sucesso na Liga dos Campeões. Estamos invictos depois de ultrapassar estes adversários de muita qualidade… Essa é uma das estatísticas principais para mostrar o nosso rendimento», considerou o avançado, que, contudo, não espera facilidades no duelo dos oitavos de final com o Club Brugge.

«Liga dos Campeões é Liga dos Campeões. Muitas pessoas olham para o Club Brugge e pensam que é um adversário fácil, mas passaram num grupo muito difícil e vamos encarar estes jogos como sempre, para ganhar, mas teremos de estar atentos e preparar-nos bem.»

Leave a Reply