Bernardo Silva é a voz da ambição da Seleção Nacional quanto à prestação neste Mundial no Catar

Declarações de Bernardo Silva, jogador da Seleção Nacional, na primeira conferência no Catar onde Portugal prepara a participação no Campeonato do Mundo.

Sensações para o Mundial:

«Muita ambição, muito confiantes, sabendo que viemos para uma competição especial, curta e imprevisível, contra grandes seleções. Esta é uma boa geração boa e os portugueses esperam muito de nós. Estamos prontos, viemos para ganhar. Sabemos que é difícil, mas viemos com muita ambição.»

Vitória no último particular com a Nigéria para preparar estreia com o Gana:

«Dá-nos confiança. Apesar de ser um amigável é sempre melhor vir com uma vitória e ganhar as rotinas que temos vindo a criar para chegar a este Mundial na melhorar forma. Todos os jogos serão complicados, em que equipas adversárias vão dar tudo como se fosse o último jogo das suas vidas. Vamos defrontar equipas com boas individualidades, mas Portugal está confiante de que as coisas vão correr bem.»

Polémica em torno com os direitos humanos no Catar

«É uma questão complicada. Sabemos tudo o que aconteceu e não é fácil porque todos nós nesta Seleção defendemos os direitos humanos e de todos os trabalhadores, bem como direitos para todas as pessoas. Estamos aqui a representar o nosso País sabendo que houve momentos na organização que não correram da melhor maneira. Mas agora estamos concentrados em fazer nosso trabalho e em representar o país melhor maneira possível.»

Calendário da fase de grupos (Gana, Uruguai e Coreia do Sul):

«É indiferente começar frente ao Gana, a Coreia ou o Uruguai. Temos de jogar contra os três, esta é uma competição curta em que temos de somar para estar oitavos e é isso que vamos tentar fazer.»

Mundial fora de época:

«Por ser diferente, por ser a meio da época. Sinto-me melhor fisicamente do que estaria no final da temporada, em que estou sempre estafado. Estou melhor para ajudar a Seleção e jogar a competição nesta altura. Estamos melhor preparados e também super-motivados para darmos o nosso melhor. (…) As sensações são boas, está calor, mas tudo ótimo até agora. A receção foi fantástica e as condições são boas.»

Posição preferida, no centro ou nas alas?

«Venho jogando em posições diferentes, os meus treinadores sabem onde me sinto melhor e onde posso ajudar a equipa da melhor forma. Tenho uma posição preferida, claro que tenho. (…) Sinto-me melhor a jogar no meio-campo, mas estou disponível para jogar numa posição que o treinador entenda ser melhor para a equipa. Mas comecei a carreira com médio, é natural que seja uma posição mais natural para mim. (…) Tento colocar as minhas qualidades em campo para ajudar a equipa. Apendi com treinadores excelentes ao longo da minha carreira essa compreensão do jogo e isso é algo que veio ajudar-me e à equipa.»

Como está a seleção? “Com muita ambição, estamos confiantes, sabemos que vimos para competição especial, curta, imprevisível, contra grandes seleções… Sabemos que temos uma geração boa e sabemos que os portugueses esperam muito de nós. Estamos prontos para representar o país da melhor forma, sabemos que é uma missão difícil, mas vimos com muita ambição.”

As questões em torno da polémica de Cristiano Ronaldo dominaram a conferência de imprensa de Bernardo Silva, a primeira de um jogador da Seleção Nacional no Catar onde vai disputar o Campeonato do Mundo.

«As notícias de Inglaterra nada têm a ver com a Seleção. Também não têm nada a ver comigo, por isso, não vou comentar. (…) É uma questão do Cristiano. Não sou jogador do Manchester United, mesmo que fosse não respondia. É um clube rival, nada tenho a ver com isso. Não estamos focados na situação do Cristiano no clube dele», atirou o jogador do Manchester City, assegurando que não existe qualquer atrito entre jogadores na Seleção, nomeadamente entre Ronaldo e Bruno Fernandes.

«Não vejo ambiente estranho nenhum na nossa Seleção entre Cristiano e outro jogador. É um assunto dele que tem de resolver individualmente com quem de direito.»

Perante a insistências dos jornalistas, disparou: «Vejo Ronaldo motivado e focado, como todos, e é mais um para ajudar o nosso País e a Seleção. Fala-se muito desse tema, mas temos um Mundial para disputar. Não percebo a persistência porque não há nada.»

Sobre uma eventual mudança no estilo de jogo da Seleção face à ausência de Ronaldo, por exemplo, no particular com a Nigéria: «Esta é uma geração diferente. Desde que vim a primeira vez à Seleção, há oito anos, mudaram quase todos os jogadores, estão três ou quatro. É natural que jogue diferente. Esta é uma geração forte, com jogadores que estão nas melhores ligas e nos melhores clubes do Mundo. A Seleção conta com o Cristiano, mas quando ele não está sabemos responder. Estamos prontos, somos 26, não importa se não está um ou outro. Vamos dar o nosso melhor para representar o nosso País.»

Leave a Reply