Simão Sabrosa explicou o que o Benfica precisa para ultrapassar o Club Brugge

O Club Brugge é o adversário do Benfica nos oitavos de final da Liga dos Campeões. O atual campeão belga calhou aos encarnados no sorteio que aconteceu nesta segunda-feira, 7 de novembro, em Nyon, na Suíça, e que contou com a presença do diretor para as relações internacionais do Clube, Simão Sabrosa.

Ditou o sorteio realizado na sede da UEFA que o Benfica defronte nos “oitavos” o Club Brugge, que terminou a primeira fase como 2.º classificado do grupo B. Para Simão Sabrosa, a eliminatória vai ser feita jogo a jogo, com respeito máximo pelo adversário.

A fasquia para o Benfica é chegar a fevereiro e disputar o jogo fora com o Brugge, e depois podermos jogar no nosso Estádio, onde somos realmente muito fortes, lado a lado com os nossos adeptos“, comentou, em declarações à BTV. “Para ultrapassar este adversário, temos de nos focar dessa maneira, respeitando-o ao máximo e exibindo os valores que temos demonstrado até aqui“, completou Simão Sabrosa.

Simao Sabrosa

“O Benfica tem sempre apoio onde joga. É algo impressionante, acreditamos que [na Bélgica] vai ser dessa forma”

Simão Sabrosa

Na dupla jornada com o campeão belga, o Benfica vai reencontrar o seu ex-jogador Roman Yaremchuk, que ajudou o Brugge a apurar-se para os oitavos de final da prova milionária. Uma campanha que teve no seu momento alto a goleada por 0-4 no Dragão.

“Conhecemos muito bem o Club Brugge, campeão da Bélgica na época passada. Todos vimos a campanha que fizeram na fase de grupos. Vai ser bom reencontrar o Roman [Yaremchuk] e é sempre ótimo estar com jogadores que jogaram no Benfica, mas, tanto nós como ele, quereremos seguir em frente“, referiu o antigo capitão do Glorioso.

Outro reencontro é o que vai acontecer com os muitos adeptos Benfiquistas que residem no território belga e nos seus países vizinhos. Um forte apoio encarnado é esperado no Estádio Jan Breydel, casa do Club Brugge.

O Benfica tem sempre apoio onde joga, é algo impressionante. É algo que cultivamos, de que gostamos e que trabalhamos para acontecer. Temos sempre muito apoio, tanto em casa como fora. Acreditamos que [na Bélgica] vai ser dessa forma”, explicou.

Esta é uma época atípica, já que o Campeonato do Mundo vai obrigar a interromper a maioria das competições e os clubes vão ver as suas rotinas de trabalho alteradas.

Vai ser um desafio para o Benfica e para as outras equipas presentes nesta fase. É algo de novo, mas certamente que a estrutura profissional do Futebol está a tratar do assunto, para conseguirmos chegar a fevereiro ao mais alto nível“, referiu o diretor para as relações internacionais do Clube.

Leave a Reply