Viagem ao calvário de um ano de paragem de Lucas Veríssimo

Quando Lucas Veríssimo caiu no relvado com dores, após um sprint com Galeno, era impossível imaginar o calvário em que o brasileiro estava a mergulhar.

Suspeitou-se de imediato que a lesão era grave, afinal de contas o central abandonou o jogo de maca, naquele 7 de novembro de 2021: uma suspeita que os exames realizados nos dias a seguir vieram confirmar: uma entorse com rotura do ligamento cruzado anterior.

Sabia-se também que a temporada tinha acabado ali, numa altura em que o jogador estava em grande forma e era presença habitual nos convocados da seleção brasileira.

Mas era impossível imaginar que a ausência viesse a ser tão prolongada. Basta lembrar que as roturas do ligamento costumam obrigar a paragens de seis, sete ou oito meses.

A verdade é que passou quase um ano, até que Lucas Veríssimo voltou a jogar: 45 minutos pela equipa B do Benfica, frente ao B SAD, a pedido expresso do próprio jogador.

«Foi uma fase complicada, sim, mas foi sobretudo uma fase muito desafiadora. Ele era um homem sempre muito ativo, jogava o que estava a jogar, não parava em casa e do nada ficou totalmente dependente de mim… dava-me vontade de chorar. Sobretudo quando via que nem as coisas simples ele conseguia fazer sozinho», conta a esposa.

Leave a Reply