Paulo Futre critica entrada tardia de João Félix quando era preciso ganhar para seguir em frente

Paulo Futre viveu intensamente o jogo entre Atlético Madrid e Bayer Leverkusen, que terminou com a eliminação dos colchoneros da Liga dos Campeões.

O ex-jogador mostrou-se frustrado, tendo falado de João Félix: «Estou preocupado porque pensava que a situação com o João [Félix] era um castigo de Simeone, uma relação de pai e filho… Mas agora estou preocupado. Passaram meses, pensei que pudesse ter dito alguma coisa, não treinar bem… Mas creio que não. Enquanto o João estiver aqui, não sei o que irá acontecer. A sensação é que algo se quebrou, se não metes o jogador com mais talento quando precisas de ganhar… Creio que está no limite», começou por dizer.

O antigo internacional português abordou a situação do penálti, que os colchoneros tiveram nos últimos instantes de jogo e desperdiçaram: «Pensei que o João ia apanhar a bola e marcar o penálti. E não o fez.»

A lenda do clube espanhol revelou ainda palavras ditas a João Félix: «Já lhe disse antes, ‘tens que trabalhar mais do que nunca para ter alguma oportunidade’. Não sei o que se vai passar em janeiro [na reabertura do mercado], mas até lá dá tudo’.»

João Félix, que foi mais uma vez suplente pelo Atl. Madrid (oitava vez consecutiva…), frente ao Leverkusen (2-2), esta quarta-feira, tendo sido lançado no jogo apenas aos 87 minutos.

Pouco depois surgiria momento de loucos: o árbitro apitou para o final da partida, mas foi alertado para um possível penálti a favor dos colchoneros, tendo mesmo apontado para a marca dos onze metros. Na conversão, Carrasco não conseguiu bater Hradecky. Na recarga, Saúl cabeceou à trave e, na terceira tentativa de fazer golo, Reinildo atirou contra Carrasco, com a partida a terminar com um empate (2-2) no marcador, o que confirmou o apuramento do FC Porto para os oitavos de final da Liga dos Campeões e a consequente eliminação de Atl. Madrid e Leverkusen.

Mais incrível do que esse momento é talvez a indiferença e passividade com que João Félix assistiu a tudo, num vídeo que surgiu esta quinta-feira e rapidamente está a tornar-se viral. É possível ver o português agachado à frente da bandeirola de canto, distante da zona onde tudo se ia decidir (e até poderia tentar, por exemplo, uma recarga), ao contrário dos seus companheiros, todos preparados para o que pudesse acontecer, quem sabe um grande momento de glória.

Depois de a jogada terminar, sem golo do Atlético, João Félix levanta-se, leva as mãos ao rosto, claramente desiludido, e fica cabisbaixo.

O final do Atlético Madrid-Leverkusen, esta quarta-feira foi caótico, e significou o afastamento dos espanhóis da próxima fase da Liga dos Campeões, devido ao empate registado (2-2).

Um penálti concedido aos colchoneros aos 90+8 poderia ter mudado radicalmente as coisas, mas o nome de Carrasco ficará para sempre ligado à desilusão, uma vez que permitiu defesa a Hradecky.

Muitos notaram – incluindo Paulo Futre, por exemplo – que João Félix era candidato a apontar o penálti e não o fez, mas o canal Movistar, que transmitiu a partida em Espanha, descobriu um momento entre o português e Carrasco, quando todas as atenções estavam de volta do árbitro.

João Félix chegou junto do companheiro e colocou a mão no peito como quem diz ‘posso marcar eu’, mas Carrasco guardou a bola debaixo do braço e acabou por ser ele a assumir essa responsabilidade. O belga rematou para a sua direita, Hradecky defendeu, na recarga Saúl cabeceou à trave e na sequência Reinildo ainda tentou a sorte de pé esquerdo, mas a bola seria travada pelo calcanhar esquerdo de Carrasco quando o destino parecia ser as redes do checo.

Leave a Reply