David Neres entrou na 2ª parte do clássico para partir tudo incluindo Wendell vezes sem conta

A importância de David Neres para o triunfo no clássico não se resumiu (já não seria pouco) ao lance do golo da vitória – conduziu a bola em velocidade e a escapar de Taremi, tocou para Rafa, recebeu a bola do companheiro e, na área, quando Diogo Costa saiu da baliza, devolveu-a para o golo.

O avançado que o Benfica contratou ao Shakhtar Donetsk por €15,3 milhões entrou após o intervalo e a sensação de poderia ferir o FC Porto a qualquer momento é confirmada pela análise ao desempenho dele.

Neres foi o terceiro jogador do Benfica com mais toques na área do FC Porto (4), só atrás de Rafa (7) e Gonçalo Ramos (5) e ganhou oito dos 17 duelos individuais.

Neres jogou, preferencialmente, pela direita (o golo, curiosamente, nasceu da esquerda) e encontrou mais vezes pela frente Zaidu e depois Wendell – ganhou dois e perdeu dois duelos com o nigeriano, ganhou os quatro com o brasileiro, que só esteve em campo nos últimos 12 minutos! De resto, ficou a perder com Otávio (1-5 em duelos) e Veron (0-1) e empatou com David Carmo (1-1).

Neres teve sucesso em quatro dos seis dribles no clássico e acertou 86 por cento dos passes.

Nota ainda para o facto do extremo brasileiro ter estado em posição privilegiada para garantir que o Benfica fez mesmo o segundo golo, já em período de compensação, quando Diego Costa defendeu a bola para lá da linha de golo. O testemunho abaixo:

Leave a Reply