Exibição a roçar a goleada em jogo com muitas novidades no onze inicial

Benfica venceu, neste sábado, 8 de outubro, o Rio Ave por 4-2, em jogo da 9.ª jornada da Liga Bwin. Numa tarde/noite de estreias, os encarnados começaram a perder, mas arrancaram para uma exibição de gala no Estádio da Luz.

Roger Schmidt fez cinco alterações no onze do Benfica (relativamente ao jogo com o Paris Saint-Germain), lançando Gilberto, Mihailo, Aursnes, Diogo Gonçalves e Draxler nos lugares de Bah, Grimaldo, Florentino, Neres e Rafa. Mihailo estreou-se na titularidade e Draxler fez os primeiros 90 minutos completos com a camisola do Glorioso.

Benfica-Rio Ave

A equipa encarnada começou bem, pressionante e mandona do jogo, e até podia ter marcado logo aos 5′ quando Mihailo não aproveitou da melhor forma um passe de Enzo. O Rio Ave respondeu e de contra-ataque aos 6′ fez o 0-1 na Catedral, por intermédio de Fábio Ronaldo.

Um copo de água num vulcão, já que o Inferno da Luz pouco ou nada sentiu o golpe. Foram precisos apenas sete minutos para colocar o resultado novamente empatado. Enzo desmarcou João Mário na área, pela direita, e o internacional português cruzou rente à relva para o desvio certeiro de Gonçalo Ramos1-1 aos 13′, e o Benfica embarcou para uma primeira parte de altíssimo nível.

Benfica-Rio Ave

Os encarnados acumularam oportunidades e, primeiro por Diogo Gonçalves e depois por Gonçalo Ramos, estiveram novamente perto do golo.

Os adeptos do Benfica não precisaram de esperar muito mais, já que aos 19′ e fruto da pressão encarnada, Jhonatan Luiz controlou mal o esférico e introduziu a bola dentro da própria baliza. 2-1, consumada a reviravolta, e a partir desse momento os encarnados criaram hipóteses suficientes para ir para o intervalo a vencer por larga margem.

João Mário (35′), Gilberto (36′) e Enzo (40′) tiveram nos pés o 3-1, que, todavia, só apareceu depois de o 4.º árbitro Anzhony Rodrigues levantar a placa de um minuto de compensação.

Gonçalo Ramos marcou novamente no jogo (45’+1′), após um passe magnífico de Enzo. A receção do camisola 88 não foi em nada inferior à assistência, e o avançado do Benfica rematou forte para o fundo das redes do Rio Ave. Com seis golos faturados em oito jogos (falhou uma jornada), Gonçalo Ramos ascendeu à liderança da lista dos melhores marcadores!

Benfica-Rio Ave

3-1 ao intervalo, e no reatamento Roger Schmidt mexeu na equipa, colocando Florentino e Musa nos lugares de Enzo e Gonçalo Ramos.

O Rio Ave entrou mais atrevido no segundo tempo e Guga, aos 53′, procurou o remate já dentro da área, mas a tentativa saiu muito ao lado da baliza defendida por Odysseas.

No minuto seguinte o treinador Luís Freire foi obrigado a mexer, por lesão de Miguel Baeza, colocando em campo Ukra. O Benfica respondeu de imediato e Draxler, dentro da área, rematou forte, mas ao lado da baliza vila-condense.

Não marcou o alemão, marcou Petar Musa. Aos 62′, João Mário entregou em Mihailo na esquerda, e este, já dentro da área, serviu no corredor central o avançado croata, que se estreou a marcar com a camisola do Benfica.

Festejos 4-1

O golo não tirou a fome da equipa encarnada: Diogo Gonçalves voltou a estar perto de um festejo, mas novamente Jhonatan Luiz não permitiu, com boa defesa.

A perder por 4-1, Luís Freire voltou a mexer, aos 66′, e tirou Samaris de campo, que não escondeu a emoção após a receção calorosa que teve dos adeptos benfiquistas. Uma dupla substituição do treinador do Rio Ave, que trocou o grego por Vítor Gomes e Fábio Ronaldo por Leonardo Ruiz.

Do lado do Benfica, Roger Schmidt também fez alterações. João Mário, uma das grandes exibições da tarde/noite, foi substituído por Rodrigo Pinho, aos 70′. O avançado brasileiro teve, seis minutos depois, oportunidade para fazer o gosto ao pé, mas não deu seguimento à assistência de Gilberto.

Benfica-Rio Ave

Os encarnados acumularam oportunidades, com Diogo Gonçalves, Mihailo, Musa e António Silva a não conseguirem ampliar a vantagem.

Contra a corrente, e já com Hernâni e Miguel Nóbrega em campo, o Rio Ave reduziu a desvantagem por intermédio de Guga. O jogador, formado no Benfica, fez o 4-2, atirando de fora da área e fazendo um golo de belo efeito na Luz, estavam decorridos 86′.

Já nos descontos, Gilberto teve a oportunidade de colocar o marcador num resultado mais condizente com o desnível existente entre as duas equipas, mas o remate forte saiu rente ao poste da baliza do Rio Ave.

O marcador não mexeu mais no Estádio da Luz e o Benfica, com 29 remates, ficou a dever a si próprio uma goleada bem mais volumosa. 4-2 e o regresso às vitórias na Liga, em mais uma grande tarde/noite de futebol da equipa treinada por Roger Schmidt, aplaudida no final pelos fiéis adeptos benfiquistas, que voltaram a encher a Catedral.

Leave a Reply