Multa pesada ao Benfica e a Rui Pedro Braz para tentar calar o Benfica

O Benfica foi multado em quase 65 mil euros (64.770) pelo Conselho de Disciplina da FPF por declarações de Rui Pedro Braz (multado em 1.020 euros) após o dérbi com o Sporting, a 17 de abril passado, jogo que as águias venceram por 2-0.

Durante a partida, o então diretor desportivo foi expulso do banco de suplentes ao minuto 78 pelo árbitro Fábio Veríssimo e, após o encontro, o próprio Rui Pedro Braz criticou durante a arbitragem e vários organismos.

«Tudo o que aconteceu hoje em Alvalade merece profunda reflexão por parte dos órgãos do futebol português. Houve situações em que sentimos que fomos prejudicados. Não estou a visar o trabalho do Fábio Veríssimo ou de nenhum dos outros profissionais, por quem tenho o maior respeito. Já estive nesse lado. Mas parece que se está a criar uma situação recorrente em que o Benfica é sistematicamente prejudicado. Não acredito que seja premeditado, pois acredito na seriedade das pessoas. Também nas modalidades e futebol de formação tem acontecido isto. Por que motivo o Benfica tem sido tão desrespeitado?

O Benfica merece respeito. Não posso ter um jovem de 20 anos hoje em Vila do Conde a proferir palavras de impotência e incapacidade para dar a volta, um jovem que está no início da carreira a dizer ‘acredito que um dia o Benfica será respeitado’. Não posso admitir isto. Este jovem tem de sentir que estamos com ele. E se não formos nós a exigir esse respeito, a chamar a atenção aos órgãos de tutela, como FPF, Liga e Conselho de Arbitragem… todos têm responsabilidades, basta ver o que acontece semana após semana. É notório o que está a acontecer. Não estou a apontar o dedo às equipas de arbitragem mas é notório», disse, referindo-se a Henrique Araújo, avançado do Benfica que também esta terça-feira foi castigado pelo CD.

Também nas declarações à BTV, o dirigente explicou o que motivou o vermelho em Alvalade: «Não me orgulho de ser expulso em duas jornadas no espaço de um mês. Mas há momentos em que é impossível conter a frustração. Dirigi-me ao António Nobre [4.º árbitro] num lance em que o Darwin ia arrancar e foi agarrado, um lance para amarelo, e disse ‘abre os olhos, António’. Gritei isto do banco e nem sequer me aproximei do meio do campo. Ele entendeu que era motivo de expulsão e só tenho de acatar a decisão. Perante o que se vê nos relvados de norte a sul, acho que foi exagerado, mas respeito.»

Leave a Reply