Roger Schmidt: “É um grande passo para nós enquanto equipa”

Roger Schmidt analisou em conferência de Imprensa o Juventus-Benfica, jogo da 2.ª jornada do grupo H da Liga dos Campeões, que aconteceu esta quarta-feira, 14 de setembro, no Estádio da Juventus.

Flash-interview

Roger Schmidt considerou justo o desfecho do jogo em Turim (vitória das águias por 2-1), apesar das dificuldades iniciais da equipa.

«A Juventus entrou com grande intensidade e não conseguimos lidar com isso. Tiveram bons momentos, marcaram um golo e criaram mais oportunidades, mas aos 20/25 minutos o jogo começou a mudar e foi completamente diferente na segunda parte, com os acertos ao intervalo. Fizemos dois golos e podíamos ter matado o jogo, desperdiçámos várias boas oportunidades e depois eles também podiam ter empatado, mas jogámos um futebol bravo e fizemos uma grande exibição, estou muito contente», disse na flash-interview da Eleven Sports.

E acrescentou: «Sobretudo na segunda parte, os jogadores acreditaram neles próprios e vi uma equipa a jogar para a frente num campo difícil. É um grande passo para nós enquanto equipa, vencer em casa da Juventus num jogo de Champions depois de termos entrado a perder. É algo muito importante para a nossa confiança.»

A dada altura da flash-interview da Eleven Sports, surgiu uma pergunta que fez sorrir Roger Schmidt. «Pode o Benfica ser esta época a grande surpresa da Liga dos Campeões?»

Depois do sorriso, a resposta, com os pés no chão. «Vamos ver, para já o nosso objectivo é chegar à fase de grupos e começámos bem, mostrámos que o podemos conseguir, mas vamos ter dois jogos com o PSG que são um grande desafio. Para já, porém, a Liga,um jogo de cada vez», atirou.

Conferência de imprensa

Roger Schmidt analisou em conferência de Imprensa a vitória do Benfica por 1-2 em Turim, diante da Juventus, em jogo da 2.ª jornada do grupo H da Liga dos Campeões, nesta quarta-feira, 14 de setembro. Uma vitória justa e de bravura da equipa encarnada, salientou.

O treinador referiu que foi uma “luta dura” e que foi preciso jogar um “futebol corajoso” para sair vitorioso de Turim. Roger Schmidt admitiu estar orgulhoso da equipa e revelou o que pediu ao intervalo ao conjunto benfiquista. O apoio dos adeptos também foi tema de conversa, assim como as ambições da equipa na prova após dois triunfos nos dois primeiros jogos.

Juventus-Benfica

VITÓRIA JUSTA E DE CORAGEM

“Tivemos de trabalhar muito, acreditar nas nossas capacidades e jogar um futebol corajoso. Houve muita intensidade por parte da Juventus no início, não estávamos tão preparados para isso. Eles tiveram alguns momentos bons para marcar golos e fizeram um. Após 15, 20 minutos ficou um jogo diferente, e depois, especialmente após o intervalo, mudámos algumas coisas e jogámos com mais intensidade, fizemos mais o nosso jogo. Estivemos bem, marcámos o segundo golo e podíamos ter decidido o jogo. Falhámos algumas oportunidades e, no fim, ainda foi uma luta dura e eles tiveram algumas oportunidades. Merecemos ganhar, foi uma grande exibição, uma grande luta dos jogadores. Estou muito orgulhoso hoje.”

Juventus-Benfica

CONVERSA AO INTERVALO

“Ao intervalo disse-lhes a verdade, que não estávamos a jogar como uma equipa de topo. Não estávamos a jogar como uma equipa que queria ganhar o jogo. Disse-lhes que tínhamos de aumentar o esforço, ser mais agressivos, fazer uma melhor pressão e acreditar também na nossa maneira de jogar. Na segunda parte mostrámos isso, conseguimos ganhar os duelos, sair bem nas transições, fazer contra-ataques e criar oportunidades. Mostrámos uma atitude e agressividade diferentes. Não foi nada tão tático, foi mais sobre a crença no nosso jogo.”

Rafa e Neres

UMA EQUIPA QUE JOGOU PARA A FRENTE

“Ganhámos com uma exibição de equipa. Todos viram o que eles fizeram. Vi uma equipa corajosa, que jogou para a frente, que não se limitou a defender num jogo fora muito difícil. Era exatamente o que queríamos fazer aqui, foi um grande passo para a nossa equipa. Era um jogo muito especial, com a Juventus, para a Liga dos Campeões e depois conseguimos ganhar após estar a perder por 1-0. É muito bom para a nossa confiança.”

A CHAVE

“Tivemos de tudo. Tivemos bons momentos nos duelos, é uma qualidade que temos, com a posse de bola conseguimos criar boas oportunidades, estivemos bem na pressão alta, mostrámos tudo no momento certo. Foi essa a chave.”

Adeptos

FAZER OS ADEPTOS FELIZES

“Os nossos adeptos ajudaram-nos muito. São fantásticos em casa, mas também são fantásticos fora. Esforçam-se sempre muito para nos apoiar nos jogos fora, vir ao estádio e apoiar a equipa e é por isso que tentamos sempre dar o máximo e queremos fazê-lo felizes e orgulhosos, pelo estilo de jogo que temos e com vitórias. Tentamos sempre ao máximo fazê-los felizes.”

Neres e Gonaço Ramos

ASPIRAÇÕES

“Como dissemos no início, queremos chegar à fase a eliminar, e é claro que com duas vitórias é ótimo, mas faltam quatro jogos. Mostrámos que podemos ser uma das duas melhores equipas, mas agora temos de nos focar na Liga portuguesa, e depois da paragem internacional temos um grande desafio com os dois confrontos com o Paris Saint-Germain, vamos ver o que acontece. Lutamos jogo a jogo.”

Leave a Reply