Situação anormal de arbitragem desequilibrou final da Elite Cup em favor dos dragões

Benfica perdeu com o FC Porto, por 4-1, na final da Elite Cup de hóquei em patins. A partida decorreu na tarde deste domingo, 4 de setembro, no Pavilhão Municipal Cidade de Tomar.

A vitória do Benfica frente à Oliveirense (6-4) e do FC Porto perante o Sporting nas meias-finais de sábado ditaram o clássico da final da Elite Cup. Isto, na antecâmara da Supertaça, a discutir no dia 10 de setembro (sábado) entre os dois emblemas.

Início de jogo corrido, bem disputado e emocionante em Tomar, com as duas equipas a testarem-se no primeiro duelo entre si na temporada 2022/23. Ainda que numa tónica equilibrada, o Benfica apresentou-se mais pressionante, cauteloso e com mais posse de bola, enquanto o FC Porto apostava em saídas rápidas.

Aos 6′, assistiu-se ao primeiro momento de perigo da tarde. Roberto Di Benedetto ultrapassou a defensiva portista e rematou para defesa de Xavier Malián. No minuto seguinte, Nil Roca viu cartão azul e, na conversão do livre direto a favor dos azuis e brancos, Gonçalo Alves abriu o marcador (1-0).

Os comandados de Nuno Resende mantiveram a postura ofensiva e partiram para a resposta, com Pablo Álvarez a atirar por cima da baliza e Nicolía a rematar para Xavier Malián segurar.

FC Porto-Benfica

Sempre muito intensas, em ambiente típico de clássico e de final, as duas equipas marcaram aos 15′. Depois de uma simulação de Reinaldo García, Ezequiel Mena fez o 2-0. O Benfica ripostou e chegou ao golo por Nil Roca, com um forte remate fora da área (2-1).

Aos 16′Pablo Álvarez sofreu falta de Reinaldo García. Na conversão, Carlos Nicolía atirou para defesa de Xavier Malián, mas o árbitro assinalou infração do guarda-redes. Na repetição do livre, o avançado argentino igualou o clássico a 2-2. O FC Porto protestou e, após largos minutos em análise no sistema de revisão de vídeo, a decisão foi revertida.

Com o resultado novamente em 2-1, rapidamente o FC Porto dilatou para 3-1, através de uma picadinha de Ezequiel Mena.

Antes do intervalo, os azuis e brancos atingiram a décima falta na partida e os encarnados estiveram muito perto de reduzir, mas Nicolía falhou na conversão do livre direto.

FC Porto-Benfica

Benfica regressou dos balneários a tentar reorganizar-se face aos incidentes do clássico. Em busca do golo e bem na defesa, não deixava o adversário trocar a bola na área e criava lances de ataque em velocidade. O FC Porto apostou em recuar na pista, jogando com a vantagem conseguida na primeira parte.

Foram várias as oportunidades para as águias, nomeadamente aos 27′ por Nil Roca, contra a figura de Xavier Malián, e aos 30′ por Pablo Álvarez, mas a bola teimava em não entrar.

Já perto do epílogo do encontro, aos 47′, Pedro Henriques negou o golo de livre direto a Carlo Di Benedetto. No mesmo minuto, o avançado francês estabeleceu as contas da final em 4-1.

As duas equipas voltam a encontrar-se às 15h00 de sábado10 de setembro, no Pavilhão Municipal de Barcelos, para disputarem o troféu da Supertaça da modalidade.

Nuno Resende

DECLARAÇÕES

Nuno Resende (treinador do Benfica): “Entrámos bem, defensiva e ofensivamente. Dentro do que era o nosso plano de jogo, conseguimos ter um bom controlo, mas depois, contra a corrente, sofremos um golo. Não conseguimos ganhar este troféu, mas, na antecâmara da Supertaça, houve coisas importantes para registar. Tivemos uma excelente reação ao 2-0, chegando ao 2-2, que acabou por ser revertido, e sofremos o 3-1 numa situação que não é normal, não controlámos a transição defensiva. Tivemos uma oportunidade para ir para intervalo com 3-2 no marcador, que para mim já era um resultado injusto, e acabámos por ir a perder por 3-1. A segunda parte teve muito de mental, na minha opinião. Não tirando mérito ao FC Porto, que fez o seu trabalho no controlo do jogo e no processo defensivo, houve uma série de episódios que também nos condicionaram. Temos de ir buscar essas situações e perceber o que é que podemos melhorar em termos mentais, de foco e de jogadores que podemos utilizar, para que em momentos destes, que vão acontecer ao longo da época, possamos ser mais assertivos, chegar com mais qualidade à baliza e defender com mais qualidade, para crescer.”

FC Porto-Benfica
FC Porto-Benfica
4-1
Pavilhão Municipal Cidade de Tomar
Cinco inicial do Benfica
Pedro Henriques, Pol Manrubia, Nil Roca, Roberto Di Benedetto e Gonçalo Pinto
Suplentes
Bernardo Mendes, Carlos Nicolía, Edu Lamas, Pablo Álvarez e Poka
Cinco inicial do FC Porto
Xavier Malián, Carlo Di Benedetto, Xavier Mayordomo, Reinaldo García e Gonçalo Alves 
Suplentes
Tiago Rodrigues, Telmo Pinto, Ezequiel Mena, José Rafael Costa e Diogo Barata
Ao intervalo3-1
Golos
Benfica: Nil Roca (15′); FC Porto: Gonçalo Alves (7′), Ezequiel Mena (15′ e 19′) e Carlo Di Benedetto (47′)
Marcha do marcador
 1-0; 2-0; 2-1; 3-1; 4-1

Leave a Reply