Sérgio Silva regressa ao basquetebol do Benfica para jogar na casa em que se formou

Formado na Luz, o base Sérgio Silva, de 26 anos, regressa a casa e é reforço da equipa de basquetebol do Benfica para a nova temporada. Volta com “sede de vitória” e para “estar com os melhores”.

“É uma alegria imensa, porque esta foi a minha casa. Acolheram-me quando tinha 15 anos. A minha formação, como pessoa e profissional, foi feita aqui. Quando saí, o meu objetivo era voltar, logo não podia estar mais feliz por voltar a casa“, assumiu à BTV.

Sérgio Silva

“O Benfica é uma nação. Quero estar com os melhores e espero estar ao nível”

Sérgio Silva

Em 2016/17 estreou-se nos seniores das águias, conquistou títulos, mas saiu para o Barreirense. Seguiram-se experiências no Terceira Basket, Lusitânia e Imortal, importantes para “ter mais mundo” a nível basquetebolístico.

“Precisava disso para ganhar experiência e ter mais mundo, conseguir jogar muito tempo. Precisava disso, porque era um miúdo jovem. Para jogar no Benfica é preciso capacidade dentro de campo e na liderança. Precisava disso para quando voltasse, regressar em grande e para ser campeão. O Benfica é uma Nação. Quero estar com os melhores e espero estar ao nível do Benfica”, analisou.

Benfiquista, Sérgio Silva cresceu com a mística, sabe da importância de conquistar títulos e chega com muita ambição.

“Quando falamos do Benfica, falamos de títulos e de vitórias. Cresci com esta mística e temos de vir para este clube com o pensamento de lutar sempre até ao fim. Sei o quão desejosos os Benfiquistas estão de ganhar, seja qual for a modalidade. Eles têm sede de vitória e venho com essa sede também“, observou.

Sérgio Silva

“Quando falamos do Benfica, falamos de títulos e de vitórias. Cresci com esta mística e temos de vir para este clube com o pensamento de lutar sempre até ao fim”

Aos adeptos, o base internacional por Portugal prometeu “garra, intensidade e fome de vencer”, desejando aportar pontos positivos ao plantel para que este continue a crescer.

“Sou um jogador de equipa, que dá tudo ao jogo e é isso que vou fazer. Mais do que aspetos técnicos ou táticos, podem esperar garra, intensidade e fome de vencer. Quero passar isto para os meus colegas, para que o grupo continue a evoluir”, finalizou Sérgio Silva.

Leave a Reply