Roger Schmidt perspectivou o jogo com o Paços de Ferreira e também falou de reforços

Roger Schmidt, treinador do Benfica, perspectivou, em conferência de Imprensa, o jogo com o Paços de Ferreira, a contar para a 3.ª jornada da Liga Bwin.

Enzo Fernández tem sido um dos destaques do Benfica neste início de temporada e o treinador Roger Schmidt foi questionado sobre se teme perder o médio argentino depois do Mundial do Catar.

«(Risos) Não, não tenho medo, ele sente-se bem aqui, é o lugar perfeito para se desenvolver. É um grande jogador, uma grande pessoa, é focado, profissional, sabe o que faz ao vir para cá. Tudo se conjugou no momento certo, creio que vai ficar aqui muito tempo, meio ano não é suficiente», comentou o treinador alemão.

Florentino e Enzo têm estado muito fortes no meio, quando terá Aursnes uma chance? «É jogador de equipa. Como foi dito a dupla está forte, tem uma boa relação com bola e sem bola a apoiar a defesa, já têm grande vantagem porque jogaram quase todos os jogos. Mas como tenho dito, não podemos só jogar com onze toda a época, ele vai tornar-se um jogador importante para nós.»

O médio ofensivo Daichi Kamada, do Eintracht Frankfurt, foi na última semana ligado ao Benfica, mas o treinador Roger Schmidt evitou o assunto. Já sobre Ricardo Horta não se coibiu de voltar a falar.

«Vocês já me conhecem um bocadinho, não falo de rumores. O mercado está a fechar, faltam mais 3 dias, as equipas na Europa tentam melhorar os seus plantéis, talvez aconteçam mais coisas no último dia do mercado do que nos últimos 3 meses. Também vamos tentar [arrumar], embora já tenhamos uma boa equipa. Podemos sempre fazer ajustes. Neste tempo todo só falei de um jogador, o Ricardo Horta, porque era público que o SC Braga queria vender e nos queríamos comprar. Continua a ser um bom jogador e o mercado ainda está aberto, vamos ver o que acontece.»

Jornada atípica na Liga, com derrotas para Sporting (frente ao Chaves) e FC Porto (com o Rio Ave). Na antevisão ao jogo em atraso da 3.ª jornada frente ao Paços de Ferreira, Roger Schmidt foi questionado sobre se estava surpreendido com as exibições das duas equipas, mas preferiu destacar o campeonato competitivo a que está a assistir, mostrando já conhecimentos sobre a liga.

«Estou surpreendido é com a qualidade da liga portuguesa, na verdade, e até das três equipa promovidas à primeira divisão – Chaves, Rio Ave e Casa Pia -, já jogámos com Casa Pia e foi difícil, só cederam um golo em três jogos, agora as outras duas equipas ganharam, isso mostra a qualidade na Liga. Também tivemos um difícil com o Boavista. Isso dá-nos a atitude certa para o próximo jogo, não podemos subestimar nenhum adversário.»

De momento o Benfica é a equipa mais forte? «É difícil dizer, agora estou focado em cada jogo e só jogámos três. Se queremos lutar pelo título temos de ser bons e confiáveis. Estamos bem de momento e temos de nos focar em nós e não noutras equipas. É cedo pra falar sobre se somos os mais fortes, podem vocês discutir isso, não tenho espaço para minha cabeça para isso.»

Jogo com Paços é ideal para rodar equipa e dar descanso a alguns jogadores? «Vamos ver. Nas próximas semanas precisamos de toda a equipa. No início preferi o mesmo onze para os jogadores se habituarem, estarem familiarizados, terem ligação, a dada altura vamos mudar, mas sinda não decidi para amanhã. Cada jogo é um novo desafio, tenho de esperar pelos dados dos jogadores. Mas precisamos de todos para ganhar. Mesmo os suplentes de que entraram, Bah, Petar Musa, Diogo, deram boa energia, o Musa até esteve em dois golos. Estamos em boa forma, temos jogado bem, depois só temos dois dias de intervalo [segue-se o Vizela sexta-feira], mas no final é o calendário que temos. Jogamos em casa, não olhamos para a classificação, mas queremos os 3 pontos e jogar bom futebol.»

Leave a Reply