Roger Schmidt apologista da ideia de que “em equipa que ganha não se mexe”

Ainda faltam alguns treinos e haverá sempre espaço para imprevistos ou mudança de plano, mas, olhando para o que são os objetivos imediatos dos encarnados e sobretudo para as habituais escolhas de Schmidt nesta fase inicial da temporada, é forte a possibilidade do treinador alemão lançar de início na terça-feira, frente ao Dínamo Kiev, na partida da segunda mão do play-off de qualificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões, o mesmo onze que entrou em campo na Polónia.

Apesar da equipa ter conseguido na casa emprestada dos ucranianos uma confortável vitória de 2-0 (os golos foram apontados pelo lateral brasileiro Gilberto e pelo goleador português Gonçalo Ramos), Roger Schmidt – e todos os no Benfica – querem evitar correr riscos.

O cenário mais lógico é, portanto, que Schmidt lance de início aqueles que entente que neste momento formam o melhor onze e que invariavelmente têm sido estes: Odysseas Vlachodimos; Gilberto, Otamendi, Morato e Grimaldo; Florentino e Enzo Fernández; David Neres, Rafa e João Mário; Gonçalo Ramos.

Schmidt mexeu apenas três vezes no onze, tudo indica, para já, que a fórmula de sucesso será mantida.

Leave a Reply