Benfica bate bracarenses no Seixal e marca encontro na final da Supertaça com as leoas

Benfica recebeu e venceu o SC Braga, por 3-0, em partida referente à meia-final da Supertaça Feminina de futebol. O jogo de atribuição do troféu disputa-se no dia 26 de agosto, em Leiria, e as águias vão lá estar!

Frente a frente duas equipas com enorme ambição e metas traçadas, ambas a colocarem em campo a vontade única de vencer face ao objetivo de marcar presença na final da Supertaça 2022.

Benfica

Antes do apito inicial de Teresa Oliveira, minuto de silêncio, cumprido de forma irrepreensível, em memória de Fernando Chalana. Arrepiante!

Depois, então, a bola rolou no Benfica Campus, com as bancadas bem preenchidas e com a presença do Presidente Rui Costa. Cedo se percebeu a postura adotada pelas duas formações: Benfica em construção, SC Braga na expectativa.

Minutos iniciais interessantes, com a benfiquista Andreia Norton, em iniciativa individual, a dar o mote. Na resposta, livre descaído para a direita favorável às arsenalistas, mas sem perigo de maior.

Cloé Lacasse pegou na batuta e a redondinha não saiu muito longe do alvo; depois foi Christy Ucheibe a tentar a sorte, mas o remate saiu muito desenquadrado.

Benfica

Do outro lado da barricada, a formação bracarense explorava o contragolpe, com bolas longas para as costas do sector mais recuado das encarnadas (aos 12′, a guarda-redes Katelin Talbert, chamada a serviços, disse “presente”), face a uma linha defensiva de três elementos montada por Filipa Patão no sistema tático da equipa (3x4x3). Carole Costa, uma dessas defensoras, recebeu, aliás, o Prémio de Melhor Jogadora da Liga BPI 2021/22 por parte do CNID, antes do pontapé de saída (foto acima).

E a história do jogo não se alterou muito até ao intervalo! Braga em contenção, a explorar a verticalidade; Benfica a construir, com mais posse, mais oportunidades, apostando na mobilidade dos flancos e na criatividade.

Aos 29′, oportunidade clara de golo para as encarnadas. Trabalho espetacular de Andreia Faria a descobrir Ana Vitória, que, após rodar, soltou-se, encarou Patrícia Morais e ofereceu à guardiã internacional lusa a defesa da tarde até então.

Benfica

O Benfica carregava e, aos 33′, Ana Seiça atreveu-se, subiu no terreno e remataou forte, contudo, à figura. Aos 41′, mais um momento de destaque, desta feita com Christy Ucheibe a escorregar na Hora H, depois de um trabalho de excelência de Cloé Lacasse e Daniela Silva na sequência de um canto.

No minuto seguinte gritou-se golo… mas o esférico saiu ao lado! Cruzamento de Valéria Cantuário na direita, entrada poderosa de Cloé Lacasse a rematar de primeira. Bonito e merecia outra sorte.

Já em tempo de compensação, Ana Rute isolou-se, introduziu a bola no fundo das redes encarnadas, mas o lance foi invalidado por posição irregular.

O Benfica terminou a primeira parte por cima e o nulo registado ao cabo dos primeiros 45 minutos, face à produção das comandadas por Filipa Patão, era inglório.

Benfica

E a partida reatou com o mesmo pendor… sinal mais das Inspiradoras e adivinhava-se o golo. Aos 49′, dois momentos, duas oportunidades! Trabalho de Andreia Norton no flanco direito, Lúcia Alves, já na pequena área, permitiu a defesa de Patrícia Morais e, na recarga, Christy Ucheibe atirou por cima.

Mas o golo chegou mesmo… Falta sobre Ana Vitória e livre descaído para o flanco direito. Andreia Faria cobrou de forma cerebral e Pauleta, em voo picado, vinda de trás, atacou a bola e cabeceou de forma fulminante para o fundo das redes! Um golo bem elaborado a colocar o Benfica em vantagem aos 54′ (1-0).

E o trabalho de laboratório voltou a dar frutos aos 60′. Lance tirado a papel químico, desta feita o cabeceamento de Pauleta foi travado, mas a bola sobrou para Cloé Lacasse, com a internacional canadiana a não desperdiçar e rematar para o 2-0, um resultado justo, a dar expressão ao maior domínio da equipa.

Benfica

O Braga tentou a reação, subiu no terreno e apostava nos remates de meia distância e nas bolas paradas. O técnico Gonçalo Nunes mexeu no xadrez, na tentativa de refrescar e dar mais poder de fogo à frente atacante, e Filipa Patão reagiu de pronto, fez algumas mudanças nos rostos em campo, respondendo com muita classe, e a não permitir veleidades. Aliás, o Benfica esteve sempre mais perto de dilatar do que de sofrer…

Perante a tentativa de inverter o rumo dos acontecimentos, e algum desnorte da formação adversáriao Benfica foi colecionando oportunidades de golo, com Patrícia Morais, com uma grande exibição, em plano de evidência a negar a goleada.

Mas o 3-0 acabaria mesmo por ser materializado! Minuto 82, passe de Ana Vitória de flanco a flanco, a rasgar e a descobrir Marta Cintra. E que classe! Receção com a direita a sentar a central adversária, temporizou e, com o pé esquerdo, aplicou um remate indefensável para o golo que sentenciou o marcador final.

Benfica

Com este resultado, justo e incontestável, o Benfica carimba presença na grande final da Supertaça. O jogo de atribuição do troféu está marcado para dia 26 de agosto, às 20h30, no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria.

O adversário das Inspiradoras será o Sporting, que na outra meia-final do dia venceu o Famalicão (3-0).

Benfica

DECLARAÇÕES

Filipa Patão (treinadora do Benfica): “Sabíamos que iria ser um jogo com alguma incerteza no início, não sabíamos como o adversário se iria apresentar com um treinador novo. A primeira parte foi para nos encontrarmos no jogo, percebermos o que o adversário fazia e que espaços é que poderíamos explorar. As jogadoras tiveram um bocadinho de dificuldade, também pelo facto de termos apresentado um sistema novo, diferente do que normalmente utilizávamos. Tudo junto, criou uma primeira parte que foi um pouco desaproveitada da nossa parte no sentido do que é a ocupação do espaço e explorar as debilidades do adversário. Na segunda parte corrigimos algumas coisas, já conseguimos, com maior capacidade ofensiva, criar mais situações e concretizar. Temos ainda muita coisa a ajustar, a melhorar, até porque as jogadoras regressaram tarde, é normal este processo, mas, fazendo um balanço geral, acabámos por estar sempre por cima do jogo, minimamente equilibradas para as transições do adversário, uma coisa que, ainda assim, temos de melhorar, mas foi um teste positivo para nós. Uma palavra de agradecimento aos adeptos, mais uma vez foram irrepreensíveis, ainda por cima num dia tão triste que é para nós, Benfica, com o falecimento de Chalana. A única coisa que podíamos fazer, que dependia de nós, era darmos esta prenda aos adeptos e agradecer-lhes a presença.”

Benfica

Pauleta (média do Benfica): “Queríamos muito começar a época a ganhar. Sabemos que é uma altura que não deixa de ser complicada, ainda estamos a assimilar processos e fisicamente ainda estamos a chegar ao nosso pico de forma. Ganhar, abrindo o marcador, é uma satisfação, mas o mais importante era a vitória. Os nossos adeptos foram incríveis. Hoje é um dia triste para o Benfica e para o futebol português, com a perda de Chalana, um símbolo, e queríamos muito oferecer uma vitória aos nossos adeptos, por eles e por Chalana. Conseguimos!”

Benfica
Benfica-SC Braga
3-0
Benfica Campus (Campo n.º 1)
Onze do Benfica
Katelin Talbert, Ana Seiça, Carole Costa, Daniela Silva, Pauleta, Andreia Faria (Marta Cintra, 68′),  Christy Ucheibe (Maria Negrão, 68′), Andreia Norton (Carlyn Baldwin, 83′), Valéria Cantuário (Lúcia Alves, 46′), Ana Vitória e Cloé Lacasse (Beatriz Nogueira, 83′)
Suplentes
Rute Costa, Carlyn Baldwin (83′), Sílvia Rebelo, Inês Simas, Marta Cintra (68′), Maria Negrão (68′), Lúcia Alves (46′), Carolina Correia e Beatriz Nogueira (83′)
Onze do SC Braga
Patrícia Morais, Leah Lewis, Nicole Nunes (Leonor Freitas, 83′), Vanessa Marques, Vitória Almeida (Vital Kats, 64′), Catarina Pereira, Bia Meio-Metro, Beatriz Rodrigues (Laura Luís, 83′), Laura Casanovas (Caroline Kehrer, 63′), Ana Rute (Joline Amani, 64′) e Marie Awona
Suplentes
Isabel Peixeiro, Laura Luís (83′), Caroline Kehrer (63′), Joline Amani (64′), Vital Kats (64′), Carolina Mendes, Ana Nogueira, Paula Fernandes e Leonor Freitas (83′)
Ao intervalo0-0
Equipa de arbitragem
Árbitra: Teresa Oliveira; Assistentes: Ana Loide e Patrícia Araújo; 4.ª árbitra: Joana Rodrigues
Golos
Benfica: Pauleta (54′), Cloé Lacasse (60′) e Marta Cintra (82′)

Leave a Reply