Sindicato dos Jogadores, FPF e Liga Portugal lembram figura de Chalana

O Sindicato dos Jogadores publicou nota de pesar, divulgada através das redes sociais, na sequência da notícia do falecimento de Chalana. 

O futebol português acordou hoje mais pobre. Partiu Fernando Chalana, um dos jogadores mais talentosos de sempre do futebol português e referência do Sport Lisboa e Benfica e da Seleção Nacional.

À família enlutada, ex-colegas, amigos e clubes que representou, endereçamos as mais sentidas condolências pelo falecimento do nosso associado: bit.ly/3dnKqgQ

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, deixou uma mensagem de condolências pelo falecimento de Fernando Chalana, ocorrido nesta quarta-feira.

«É com profunda tristeza que lamento a morte de Fernando Chalana, internacional português e referência eterna do SL Benfica.

O ‘pequeno génio’ espalhou magia e arte pelos campos de futebol, deliciou os adeptos com a sua fantasia, conquistou a admiração de todos os apaixonados do desporto e foi merecidamente elevado à dimensão de ídolo. Chalana foi indiscutivelmente um dos melhores jogadores da história do nosso futebol e um nome que distinguiu Portugal no Mundo. Lembro particularmente as suas exibições no Campeonto da Europa de 1984. Com o seu desaparecimento, o desporto e o futebol português perdem uma referência mítica.

Jogador venerado nas quatro linhas e por todos os adeptos do futebol, Chalana foi um ser humano de qualidades excecionais.

Aos familiares e amigos deixo uma palavra de conforto nesta hora de dor. Ao SL Benfica, dirijo as minhas mais sentidas condolências», lê-se na nota publicada no site da FPF. 

A Liga publicou nota de pesar, através das redes sociais, a despedir-se de Fernando Chalana: “Até sempre, Pequeno Genial”.

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, lamentou hoje a morte de Chalana, que considera “um dos mais geniais jogadores da história do futebol português” e uma das maiores figuras do Europeu de 1984.

“O futebol português fica mais pobre, mas ficarão as memórias e as fintas de Fernando Chalana, que nunca serão esquecidas”, refere Pedro Proença na sua conta na rede social Facebook.

Leave a Reply