Carole Costa marcou mas foi Jéssica Silva quem lançou pânico junto das redes neerlandesas

A Seleção Portuguesa de futebol feminino perdeu, por 2-3, com os Países Baixos, que detêm o título de campeãs da Europa, mas deixou excelente imagem, sobretudo por discutir até ao fim uma partida que seria, em teoria, desequilibrada, em função do historial das duas equipas.

O resultado, na verdade, começou folgado para as neerlandesas, que chegaram facilmente ao 2-0 com apenas 16 minutos decorridos, na sequência de dois pontapés de canto. Veio ao de cima a superioridade física das neerlandesas, mas Portugal até já tinha assustado, com golo de Ana Borges invalidado após intervenção do VAR.

A reação tardou, mas na reta final da primeira parte as portuguesas já equilibravam e chegaram justamente ao 1-2, penálti bem apontado por Carole, após derrube a Diana Silva que também o VAR ajudou a corrigir para uma boa decisão.

Portugal entrou em grande na segunda parte, Tatiana Pinto quase marcou de cabeça, Diana Silva empatou no minuto seguinte, o 47.º. Jéssica Silva dava que fazer do lado esquerdo, a Seleção Nacional parecia capaz de levar o pânico aos Países Baixos, mas um disparo violento, sem hipóteses, de Van de Donk repôs a vantagem neerlandesa, agora injusta.

A partir daqui, minuto 62, por mais que o banco de Portugal mexesse, pouco foi possível fazer, vindo ao de cima a experiência dos Países Baixos, que souberam explorar cada falta, cada erro português para levar o jogo nas calmas, longe da sua área, até ao fim.

Leave a Reply