Benfica vence dérbi e empate play-off onde os discípulos do “Cashball” tentaram impedir

Tudo empatado nas meias-finais do play-off do Campeonato Nacional. No Pavilhão Fidelidade, o Benfica derrotou o Sporting, por 3-2, num jogo 2 marcado por emoção, incerteza no marcador, espetáculo nas bancadas e demasiadas cenas lamentáveis no rinque. 

Após ter arrancado no Pavilhão João Rocha, a eliminatória viajou para a Luz onde as águias queriam relançar estas meias-finais com um triunfo. Bancadas bem compostas, com o Presidente Rui Costa presente. Na pista, o dérbi arrancou e… golo do Benfica! Edu Lamas assistiu e Pablo Álvarez, à boca da baliza, a fazer o 1-0 (1′). Aos 5′, momento lamentável no Pavilhão Fidelidade… Sem bola, Ferran Font agrediu Pedro Henriques com o stick e a equipa de arbitragem nada sancionou. 

Benfica

O Benfica estava por cima, mais rematador e, aos 9′, num contra-ataque, Diogo Rafael, frente a Ângelo Girão, quase marcou. Na resposta, os verdes e brancos testaram a atenção de Pedro Henriques (10′). A partir daqui foi o Sporting a crescer na partida, com vários remates perigosos à baliza encarnada, um deles a embater nos ferros, aos 16′. Os de Alvalade ameaçavam e, aos 20′, empataram. Alessandro Verona, com tiro do meio da rua, cruzado, fez o 1-1. 

Perto do final da primeira parte, mais golos. Aos 22′, Lucas Ordoñez foi derrubado na área, a equipa de arbitragem assinalou grande penalidade e o camisola 9 atirou a contar para o 2-1. Bola ao centro e… 3-1! Lucas Ordoñez, com um remate de meia-distância aumentou a contagem (23′), resultado com que se chegou ao intervalo. 

Na segunda metade, o ritmo e a emoção mantiveram-se em alta no Pavilhão Fidelidade, com as duas equipas a acercarem-se das balizas com alguns lances de perigo, testando a atenção de ambos os guarda-redes, Pedro Henriques e Ângelo Girão. Nas bancadas, os Benfiquistas continuavam a dar espetáculo no apoio à equipa. Aos 27′, o Benfica reclamou golo, após jogada entre Carlos Nicolía e Poka, mas a equipa de arbitragem não foi da mesma opinião

Benfica

Aos 30′, Diogo Rafael ficou perto de ser feliz, mas o guardião dos leões negou-lhe os intentos. Aos 36′, foi a vez de Gonçalo Pinto tentar o golo. Quem não marca, sofre, e, aos 39′, Toni Pérez desviou o esférico para o 3-2, após jogada coletiva do Sporting. Este tento teve o condão de colocar os verdes e brancos a carregarem com mais posse de bola, deixando as águias a apostar no contra-ataque. 

Ainda assim, aos 48′, num livre direto pela 10.ª falta do Sporting, o Benfica teve soberana oportunidade, mas Carlos Nicolía desperdiçou. Para o último minuto, os comandados por Paulo Freitas abdicaram do guarda-redes para terem superioridade numérica em jogadores de campo. A 10 segundos do fim, cenas lamentáveis em pista. Ângelo Girão e João Souto agrediram Lucas Ordoñez; Henrique Magalhães agrediu Pablo Álvarez a murro. O resultado de 3-2 para o Benfica, esse, manteve-se até ao apito final. 

Está 1-1 na meia-final. O jogo 3 do play-off do Campeonato Nacional de hóquei em patins é na terça-feira, dia 7 de junho, no Pavilhão João Rocha. 

Benfica

DECLARAÇÕES

Nuno Resende (treinador do Benfica): “Quero dar os parabéns aos nossos jogadores, fizeram uma prestação fabulosa. Trabalhar sobre uma derrota [no Pavilhão João Rocha], mesmo fazendo um jogo de qualidade, é sempre difícil emocionalmente. Entrámos bem no jogo, depois tivemos dificuldades fruto do esquema mais defensivo do Sporting, com uma equipa mais pressionante. Demorámos tempo a acertar, mas, quando o fizemos, tivemos situações de golo. Depois há episódios que são à parte do jogo e que era bom que não acontecessem. Podíamos ter feito o 4-1, eles fizeram o 3-2, o jogo foi disputado até ao fim, mas o play-off é isto. Os adeptos foram os melhores em campo, fantásticos, carregaram-nos. Foi à Benfica! Quando a nossa casa está assim, já entramos a ganhar.”

Diogo Rafael (capitão do Benfica): “Entrámos fortíssimos e a prova disso foi o golo no primeiro minuto. A partir daqui, controlámos e estivemos sempre no comando do marcador. Fomos uns justos vencedores, fizemos um grande jogo, sempre apoiados por este público maravilhoso. Foram incansáveis e quero deixar uma palavra de agradecimento. Igualámos a eliminatória, estamos na luta, só dependemos de nós e sabemos que temos de ganhar, pelo menos, um jogo em Alvalade. Dar os parabéns a toda a equipa. Foram uns guerreiros. Souberam sofrer e lutar.”

Benfica
Benfica-Sporting
3-2
Pavilhão Fidelidade
Cinco inicial do Benfica
Pedro Henriques, Diogo Rafael, Edu Lamas, Pablo Álvarez e Lucas Ordoñez
Suplentes
 Rodrigo Vieira, Carlos Nicolía, Pol Manrubia, Poka e Gonçalo Pinto
Cinco inicial do Sporting
 Ângelo Girão, Ferran Font, Matias Platero, João Souto e Henrique Magalhães
Suplentes
 José Diogo Macedo, João Almeida, Alessandro Verona, Toni Pérez e Gonzalo Romero
Ao intervalo3-1
Golos
Benfica: Pablo Álvarez (1′) e Lucas Ordoñez (22′ e 23′); Sporting: Alessandro Verona (20′) e Toni Pérez (39′)

Leave a Reply