Ricardo Horta rejeita falar do interesse encarnado enquanto estiver na Seleção Nacional

Ricardo Horta, que foi  uma das novidades na convocatória de Fernando Santos para os quatro jogos da Liga das Nações, frente a Espanha, finalista da última edição, em Sevilha, a 2 de junho, Suíça, dia 5 de junho, e a República Checa, a 9, e em jogos que terão lugar no Estádio José Alvalade, e a 12 de junho, em Genebra, defronta a Suíça, e, esta manhã, em conferência de imprensa, não escondeu o orgulho por estar de regresso à Seleção após oito anos de ausência.

«Foi um longo período de espera, confesso, mas sempre pensei que este momento chegaria, sempre trabalhei para isso, o meu desempenho no clube foi melhorando e é com muito orgulho que estou neste grupo cheio de qualidade», realçou.

Questionado sobre o mercado de transferências, em que vê o seu nome associado ao Benfica, o atacante disse que o foco, agora, é outro: «Não é o momento para falar disso, o que tiver que acontecer acontecerá. Estou muito focado na Seleção, quero dar o meu melhor, quero mostrar-me aos meus colegas e ao selecionador.»

Horta contou que foi muito bem recebido e realçou, ainda, a mensagem de Fernando Santos: «Já conhecia muitos, uns são da minha geração, outros de jogar contra, já me tinham dito que era um grupo fantástico, e é verdade, fui muito bem recebido, estamos todos unidos, acho que as coisas vão correr muito bem. O mister teve uma conversa normal, de boas-vindas, disse-me para aproveitar e é o que vou tentar fazer ao máximo. Temos um grupo com muitos jogadores de qualidade, todos são opção e quero ajudar o máximo que for possível.»

Sobre a possibilidade da Liga das Nações lhe poder abrir as portar do Mundial, Ricardo Horta foi claro: «Onde Portugal entra as competições são todas para vencer, queremos ganhar este grupo, que é equilibrado, com quatro boas seleções, temos quatro jogos muito competitivos num espaço curto de tempo, mas queremos vencer. Ainda faltam uns meses para o Mundial, mas, sim, é uma ambição, é claro que gostava de estar entre os escolhidos.»

Desafiado a descreve o atual momento da carreira, Horta foi perentório: «Esta época desportiva é de sonho, talvez a melhor época da carreira, com os melhores números que tive e ser chamado à Seleção é dos melhores momento, quero desfrutar ao máximo.»

Sendo fundamental começar a vencer fora, Horta já começou a chamar os adeptos para os jogos em Alvalade: «Esperamos um estádio cheio, os jogadores sentem muito o apoio do público, faço o meu apelo para virem ao estádio, com os portugueses tudo é mais fácil.» 

Leave a Reply