António Oliveira explica palavras sobre rival em entrevista de despedida do Benfica

Em entrevista à BTV, António Oliveira foi intimado a explicar as palavras que teceu ao Porto Canal após o jogo entre as equipas B de FC Porto e Benfica, a 13 de maio, onde o técnico dos encarnados parabenizou a equipa principal azul e branca pela conquista do título.

«Está relacionado com a minha forma de estar na vida e no futebol, independentemente do rival. Eu também lido mal com a derrota, mas há que saber ganhar e saber perder. Daí ter dado os parabéns ao adversário, como daria a outro e noutro canal. É a minha forma de estar, o adepto é menos racional. No momento que vivemos devemos dar o exemplo, independentemente da forma como o adversário possa ter ganho», explicou, garantindo que não sai com mágoa do clube da Luz.

«Dou-me bem com toda a gente e conheci pessoas extraordinárias. Sempre fui ao encontro do projeto desportivo do clube em detrimento das minhas ambições pessoais. Eu sou competitivo por natureza, nos projetos onde entro é sempre para ganhar, mesmo que o contexto seja muito difícil. Eu já sabia que as prioridades eram para a Youth League e para os sub-19. Quando disse o que disse não tive o propósito de atingir o treinador A, B ou C. Tudo o que disse é verdade, há que enquadrar», disse, sublinhado o porquê de ter reclamado méritos pela conquista da Youth League.

«É um facto que 60 por cento da equipa da Youth League é da equipa B. O facto de competirem numa liga mais madura como a Liga 2 torna as coisas mais fáceis. Há o reconhecimento dos que, liderados pelo Luís Castro, representaram da melhor forma o Benfica e conseguiram um objetivo, mas há também o reconhecimento daqueles que ficaram em circunstâncias difíceis para garantir os trabalhos do Benfica Campus e de todas as restantes competições que aconteciam. Esta é uma vitória do Benfica. A equipa da Youth League não é uma equipa, é formada por três equipas: os sub-19, os sub-23 e os B. Tem de ser dado o valor a todas as pessoas», finalizou.

Leave a Reply