Acionista minoritário acusa Domingos Soares Oliveira de conflito de interesses na SAD

O advogado Jorge Mattamouros, sócio do Benfica e acionista minoritário da SAD, e que ficou conhecido por ter avançado com uma ação judicial para tentar destituir o então presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, enviou agora uma carta ao CEO da Benfica SAD, Domingos Soares Oliveira, e à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), por considerar que existe um conflito de interesses a envolver precisamente Domingos Soares Oliveira. A notícia foi avançada pelo Expresso, que teve acesso à referida carta.

Em causa está o prospeto do empréstimo obrigacionista em curso, de 40 milhões de euros. «A situação de conflito de interesses, ou de potencial conflito de interesses, da Benfica SAD com um administrador, em particular o seu Chief Executive Officer, é um risco efetivo do qual o mercado deve ser informado, pois pode ter impacto relevante na posição financeira e desportiva da sociedade», escreve Jorge Mattamouros.

«Um dos principais pontos frisados pelo advogado, que é sócio do Benfica há 28 anos, mas acionista da SAD apenas desde o início deste mês, prende-se com o facto de Domingos Soares de Oliveira integrar a administração da Liga Centralização, uma empresa criada pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional com o objetivo de centralizar os direitos televisivos dos clubes. Jorge Mattamouros questiona como é possível Domingos Soares de Oliveira ao mesmo tempo defender os interesses do Benfica, enquanto CEO das águias, e os interesses económicos da Liga e de clubes adversários do Benfica, enquanto gerente da Liga Centralização», escreve o Expresso.

O advogado sugere mesmo que Domingos Soares de Oliveira termine a ligação ao Benfica. «Se, como tem vindo a ser noticiado, o senhor considera assumir em exclusivo o papel de responsável máximo pela comercialização da receita conjunta de todo o futebol português, em nome da Liga, tem naturalmente legitimidade para escolher esse novo rumo para a sua carreira. Nesse caso, todavia, deve informar os acionistas e o regulador e agir em conformidade, saindo da Benfica SAD», defende.

E alerta ainda para outro potencial conflito de interesses devido ao processo Cartão Vermelho, que levou à detenção de Luís Filipe Vieira e que originou uma auditoria forense em curso na Luz. «Admito que as conclusões do trabalho em curso não identifiquem conduta reprovável do administrador Domingos Soares de Oliveira, mas para proteção de todos os intervenientes, em particular o interesse do Benfica, o administrador objeto da auditoria não pode ser também parte da equipa executiva que acompanha ou supervisiona os trabalhos», vinca.

Leave a Reply