Derrota com o Liverpool pode ter comprometido passagem à meia-final da Champions

O Benfica comprometeu a sua continuidade na Liga dos Campeões, sendo derrotado pelo Liverpool por números que deixam muito remotas as possibilidades da águia alcançar um resultado histórico em Anfield. O terceiro golo, surgido nos minutos finais, graças à frieza e talento de Luís Díaz, praticamente sentenciou o acesso às meias-finais.

Depois de uma primeira parte completamente pertencente aos reds, dominadores do primeiro ao último minuto, o ascendente acabou naturalmente reflectido no marcador. Konaté, bem cedo, desferiu o primeiro golpe nas águias, subindo estranhamente à vontade para impor a sua altura e cabecear sem mácula para o fundo das redes. A equipa de Jurgen Klopp continuou por cima e numa jogada demasiado fácil, a passividade encarnada foi constrangedora, Arnold descobriu Díaz que aproveitou o espaço para endossar de cabeça para Mané se limitar a empurrar. O jogo ganhava aqui contornos preocupantes para o Benfica e pode-se dizer que foi Vlachodimos a impedir outros prejuízos nos primeiros 45 minutos, travando ameaças de Keita, Díaz e Salah. Do lado do Benfica ficou uma ameaça de Everton Cebolinha, que ficou nas malhas laterais.

Se a primeira parte acabou com apuros nas duas balizas, a segunda arrancou com um Benfica mais acutilante, procurando reentrar na discussão da eliminatória, objectivo que conseguiu quase de imediato com Darwin a agradecer autêntico brinde de Konaté. Outro alento na Luz, o público cresceu e por alguns minutos, o Benfica agigantou-se, fazendo tremer o conjunto inglês. Everton ficou perto de empatar num remate frontal, que travou Alisson, ao passo que Darwin perdeu tempo numa definição, acabando desarmado, embora ficando a percepção que foi condicionado irregularmente pelo gigante Van Dijk.

A resposta encarnada esbateu-se em alguns minutos, faltando gás e alguma ambição, tendo a troca de Taarabt por Metié denunciado que Nélson Veríssimo preferiu correr menos riscos do que empatar o jogo. O jogo ficou morno e aborrecido mas o Liverpool aproximou-se dos minutos finais da área do Benfica, procurando ampliar da meia-distância. Mas foi uma arrancada de Keita que valeu esse golpe muito duro nas pretensões da equipa portuguesa, tendo o médio da Guiné-Conacri libertado na hora certa para Díaz, que ao seu estilo disparou em velocidade, fintou Vlachodimos e fechou a contagem.

Leave a Reply