Nélson Veríssimo consultou “espião” Bruno Lage para a melhor abordagem ao Liverpool

O sorteio dos quartos de final da Liga dos Campeões colocou o Liverpool no caminho do Benfica, e o passo seguinte foi o de recolher informações sobre o clube inglês que, esta temporada, já tinha jogado com o FC Porto na Champions, e que atravessa um grande momento, a apenas um ponto do líder Manchester City.

Em Inglaterra está Bruno Lage, treinador do Wolverhampton, um dos adversários do Liverpool, antigo treinador das águias, numa equipa técnica que tinha Nélson Veríssimo como adjunto (os dois foram da mesma turma no IV Nível de treinador), assim como Alexandre Silva e Jhony da Conceição, que acompanharam Bruno Lage para Inglaterra. As equipas técnicas de Benfica e Wolverhampton trocaram informações sobre o Liverpool, adversário dos Wolves a 4 de dezembro de 2021, partida (1-0) ganha pelos reds na última jogada da partida, com um golo do belga Divock Origi e num jogo em que a equipa de Jurgen Klopp sentiu muitas dificuldades para vencer no estádio Molineux.

O contacto não foi feito diretamente através dos treinadores, mas sim pelos analistas das duas equipas técnicas, com o Benfica depois a observar e a rever todos os dados recolhidos pela equipa técnica do Wolves, como comportamento ofensivo e defensivo do Liverpool. Análises exaustivas feita pelo departamento de análise do Wolverhampton, um dos que mais se tem destacado esta época, com os Wolves a serem uma das equipas que melhor condiciona os adversários da Premier League. Aconteceu com Manchester City, Chelsea, Aston Villa e o próprio Liverpool.

Tudo analisado, desde posicionamentos e dinâmicas, com particular destaque para as movimentações ofensivas do Liverpool, com a inclusão dos laterais, Alexander Arnold (suplente, anteontem, com o Watford) e Robertson no ataque, os movimentos de Salah e Sadio Mané e a forma como o jogo interior do Liverpool muda quando joga Thiago Alcântara.

Leave a Reply