Maestro e Presidente. Rui Costa celebra hoje meio século de vida no ninho da águia

Desde o colo dos seus pais – são 50 anos de amor e de paixão pelo Sport Lisboa e Benfica! Em 29 de março de 1972, a Damaia foi berço de Rui Manuel César Costa, o menino que, nas captações, o Rei Eusébio haveria de selecionar para os Infantis do Glorioso. Fez toda a formação no Clube, estreou-se pela equipa A em 22 de setembro de 1991, foi campeão e, já elevado a Príncipe e Maestro, derramou talento e escreveu lindos “poemas” aquém e além-fronteiras. Internacional A (94 jogos, 26 golos), esteve 12 épocas em Itália, onde brilhou na Fiorentina (1994-2001) e no Milan (2001-2006). Realizou o sonho de regressar ao Benfica (2006-2008) e, na tarde de 11 de maio de 2008, em casa, no seu Estádio da Luz, terminaria a carreira de futebolista, em lágrimas. Rui Costa, hoje Presidente do Benfica, celebra meio século de vida nesta terça-feira. Parabéns!

Não é todos os dias que se comemoram 50 anos de vida. Nem é todos os dias que um dos maiores futebolistas portugueses de todos os tempos chega ao meio século de vida: Rui Manuel César Costa nasceu a 29 de março de 1972. Logo, como diria La Palisse, completa hoje 50 anos.

Na véspera de mais um aniversário, o agora presidente do Benfica falou para a comunicação social.

«Por favor, sem parabéns, que pode dar azar; parabéns é só amanhã», começou por dizer Rui Costa, sorridente, no momento em que nos recebeu numa sala contígua à sala de reuniões da SAD. A seguir, acompanhados por Pedro Pinto (diretor de comunicação), Nuno Costa (chefe de gabinete da presidência) e Ricardo Sampaio Maia (assessor), passámos para a sala onde a SAD se reúne.

Era tempo, então, de entregarmos as lembranças que levávamos para Rui Costa. A capa emoldurada em que constam as notícias do dia em que nasceu e cinco capas referentes às suas diferentes décadas de vida: 10, 20, 30, 40 e 50 anos: em miúdo «com a braçadeira bem mais larga que o braço», como disse, entre sorrisos, o agora presidente; a dar toques na bola em pleno relvado da antiga Luz, como o antigo 10 a dizer que ainda tem essa reportagem guardada; abraçado a Capucho «no jogo com a Polónia do Mundial-2002» em que marcou um dos quatro golos; já dirigente, ao lado de uma fotografia ainda como jogador, em que aparecia «já com uns quilinhos a mais»; finalmente, já como presidente na entrega dos Prémios Cosme Damião, «com um ar mais institucional».

A finalizar, a mensagem dirigida à Seleção Nacional que hoje defronta, no Estádio do Dragão, a Macedónia no derradeiro jogo de apuramento para a fase final do Mundial-2022: «Antes de mais, tenho a convicção de que Portugal vai apurar-se. Passei muitos aniversários em estágios da Seleção e muitos e bons dias a servir a Seleção e agora, enquanto português, anseio por essa qualificação. Depois, como ex-jogador da Seleção Nacional espero que me deem essa prenda em dia de aniversário. Que significa fazer 50 anos? Bom, em primeiro lugar, que estamos a envelhecer; quando olho para as bonitas capas que vocês me ofereceram e vejo a minha evolução ao longo dos anos, faz pensar, faz pensar… Mas continuo feliz e muito orgulhoso por esta caminhada; até vaidoso, até vaidoso. Este aniversário, este número redondo, surge numa fase da minha vida de enormíssima responsabilidade. Pode ser que estes 50 anos me façam bem…»

Rui Costa, presidente do Benfica, esteve ainda no balneário para celebrar com jogadores, equipa técnica e funcionários o 50.º aniversário. O momento foi partilhado nas redes sociais do clube.

Leave a Reply