Benfica vence o HBC Nantes e passa aos oitavos de final da Liga Europeia em 2º lugar

Com o acesso aos oitavos de final garantidos a três jornadas da 10.ª e última jornada da fase de grupos, concretizada esta noite, diante dos franceses do HBC Nantes, o Benfica lutava por segundo lugar na classificação do grupo B da Liga Europeia e, a seis segundos do fim, Lazar Kukic finalizou o sexto de dez remates, selou o resultado em 31-30 e deu o mote para a festa no Pavilhão N.º 2 da Luz.

Sem contar com Demis Grigoras e Arnau Garcia, por lesão, Chema Rodriguez teve outros trunfos para enfrentar os comandados de Alberto Entrerrios e foi o sérvio Petar Djordic habitual homem dos golos das águias a inaugurar o marcador, através da conversão de um livre de 7 metros no duelo com o guardião dinamarquês Emil Nielsen.

No entanto, a velocidade imposta pela turma que ocupa o segundo lugar do campeonato gaulês deu frutos e depressa o Benfica viu-se a perder por 2-6. Apesar dos esforços de Alexis Borges, Jonas Kallman, que chegou ao intervalo com 100 por cento de eficácia nos cinco remates cumpridos, e com Sergey Hernandez a tomar bem conta das redes anfitriãs, as águias chegaram ao empate com golo de Alexis (10-10), voltaram a andar atrás do marcador, equilibraram de novo (11-11) com Lazar Kukic, viram o internacional português Alexandre Cavalcanti – foi formado nas escolas benfiquistas e há três temporadas se mudou para o emblema francês – devolver a vantagem ao Nantes e iniciar este jogo de gato e do rato que Ole Rahmel, a três minutos do final da primeira parte, desbloqueou após uma assistência notável de Belone Moreira (15-14).

O Benfica ficou à frente pela primeira vez, mas Kiril Lazarov, lendário jogador de 41 anos que soma 251 intenacionalizações pela Macedónia, em pleno voo assinou o golo 16 dos franceses que chegaram ao intervalo a ganhar por um golo.

Igualmente pautada pelo equilíbrio, a segunda parte foi marcada por constantes mudanças no comando da contagem, muitos empates e a prestação alemão Ole Rahmel que compensou o tiro falhado na primeira parte com 9 golos, cinco deles em outros tantas conversões de sete metros. O Benfica, que entrou em campo, poder tolerar um empate inferior a 33 golos para terminar esta fase na segunda posição, atrás dos dinamarquese do GOG, primeiros classificados, acabou por simplificar as contas com este triunfo.

Chema Rodríguez (treinador do Benfica): “Foi uma partida extraordinária. Poder ganhar ao Nantes em casa é brutal, porque eles são uma equipa de Champions. Empatámos em França, ganhámos hoje [terça-feira], num jogo tão difícil. O que a equipa e os jogadores fizeram é extraordinário. Temos jogadores doentes, com gripe. Fizemos um grande esforço. Os valores do Benfica são trabalhar, sofrer, lutar, dar tudo a 100%. Às vezes temos um bom resultado, noutras não. O que não pode faltar é luta, entrega, trabalho e o espírito da equipa. Isso é uma marca do Benfica e do andebol. O apoio dos adeptos foi incrível. Esta vitória deveu-se a eles. Muito obrigado pelo apoio. Estamos aqui para trabalhar para eles.”

Sergey Hernández (guarda-redes do Benfica): “Acho que fizemos dos melhores jogos, tanto na quadra, como os adeptos nas bancadas. Adoramos sentir o calor dos adeptos e sentimos o escudo do clube que representamos. Precisamos disto para chegar aos objetivos. Estamos a trabalhar, continuamos a sonhar. Falo por mim, eu gostava de jogar a final four, mas vamos ver até onde podemos chegar. A palavra que melhor representa estes adeptos e o Clube é paixão. Nunca vi isto em mais nenhum lado.”

Benfica-HBC Nantes
31-30
Pavilhão n.º 2 da Luz
Formação inicial do Benfica
Sergey Hernández, Jonas Källman, Petar Djordjic, Lazar Kukic, Alexis Borges, Ole Rahmel e Rogério Moraes
Suplentes
Gustavo Capdeville, Mahamadou Keita, Paulo Moreno, Carlos Martins, Bélone Moreira, Luciano da Silva e Francisco Pereira 
Ao intervalo15-16
Marcadores do Benfica
 Ole Rahmel (8), Lazar Kukic (6), Jonas Källman (5), Alexis Borges (4), Petar Djordjic (4), Rogério Moraes (2), Paulo Moreno (1) e Bélone Moreira (1)

Leave a Reply