Nélson Veríssimo queria vencer mas acaba satisfeito com intensidade constante da equipa

Verdadeira noite de Liga dos Campeões na Catedral, com Benfica e Ajax a empatarem a duas bolas em encontro da 1.ª mão dos oitavos de final da prova. Nélson Veríssimo analisou a partida, mostrou-se satisfeito com “a entrega e o compromisso” da equipa, mas o resultado desejado era outro… Eliminatória em aberto!

Primeiro na zona de entrevistas rápidas, depois em conferência de Imprensa, o treinador do Glorioso elogiou a exibição da equipa, o compromisso e a forma como os seus atletas se deram ao jogo, manifestando tristeza pelo resultado, ressalvando que o objetivo era a vitória, num desafio “disputado, 50/50, com uma grande intensidade” durante os 90’+4′ jogados. Uma coisa é certa, “este é o caminho”, da “consistência e da regularidade”, e, numa “eliminatória em aberto”, o objetivo é vencer em Amesterdão.

Benfica-Ajax

Equipa mais constante e regular no todo

“Estou satisfeito com a exibição, mas não com o resultado. O que nos interessava era ganhar a partida. Foi um desafio de 50/50, dividido e equilibrado, com duas equipas que se deram ao jogo de forma a tentar vencer, duas equipas que se respeitaram e, acima de tudo, foi um jogo disputado com uma grande intensidade, do princípio ao fim. Chegámos ao intervalo em desvantagem, nunca perdemos a organização e a capacidade defensiva e arrancámos para uma segunda parte muito boa, com dinâmica, a criar situações de perigo. Dar os parabéns aos jogadores por tudo aquilo que meteram em campo, tanto ao nível da qualidade de jogo que apresentaram, quer ao nível do compromisso, quer da disponibilidade física até ao último minuto. Talvez tenha sido o jogo mais equilibrado, com o rendimento mais constante e regular do princípio ao fim. É algo que nós temos de manter e continuar a trabalhar para os jogos que aí vêm no futuro e já a pensar no próximo com o Vitória.”

Benfica-Ajax

Benfica catapultado pelo Inferno da Luz

“O público desde muito cedo, pelo apoio que demonstrou, catapultou a equipa para esta exibição. É preciso dar tempo ao tempo. Neste jogo com o Ajax, perante os nossos Sócios, com o contributo deles, fizemos uma exibição com um rendimento mais regular, mais constante, com maior intensidade do princípio ao fim. Deixa-nos satisfeitos a forma como nos momentos em que tivemos de atacar, atacámos; deixa-nos satisfeitos como nos momentos em que tivemos de defender, soubemos defender; e também nos deixa satisfeitos a forma como saímos em transição e criámos oportunidades. São comportamentos que queremos manter, do princípio ao fim do jogo, e é isso que queremos fazer nos próximos desafios.”

Benfica-Ajax 1.ª mão oitavos final Champions

Eliminatória em aberto

“Fazia parte da estratégia de jogo tentar, numa primeira fase, uma construção mais curta para atrair o posicionamento do adversário para depois conseguir procurar o jogo mais na profundidade. Não jogámos sozinhos, o adversário tem muita qualidade, como lhe é reconhecida, e depois conseguimos adaptar-nos em muitos momentos ao que o jogo pedia. Dou os parabéns aos jogadores pela forma como estiveram nestes 94 minutos em campo. Estamos tristes com o resultado, queríamos vencer o jogo, mas a eliminatória ainda está em aberto.”

Benfica-Ajax

Ganhar a segunda mão

“Do que observámos no jogo todo, acredito que vamos a Amesterdão com o mesmo espírito com que encarámos esta primeira mão. É dividir o jogo, 50/50. Não nos podemos esquecer que jogámos com um adversário que foi uma das três equipas que fez o pleno em termos de vitórias na fase de grupos da Liga dos Campeões, está no 1.º lugar destacado na sua Liga, e não nos podemos esquecer da sua qualidade individual e coletiva. Sabemos que temos uma missão difícil pela frente. O objetivo neste primeiro jogo era ganhar, não conseguimos; o objetivo para a segunda mão é ganhar.”

Benfica-Ajax

O desafio para o futuro

“Faz parte da função do treinador olhar aquilo que são os aspetos técnicos, táticos, físicos e psicológicos. A verdade é que a regularidade das boas exibições e os resultados positivos (e nesta casa o resultado positivo é ganhar), dão conforto, confiança, e é sempre diferente trabalhar com base numa vitória do que o contrário. Hoje [quarta-feira] não conseguimos ganhar, mas estivemos perto de o fazer, com uma exibição muito bem conseguida frente a um adversário poderoso. O discurso nesta casa tem de ser sempre o mesmo. Hoje tivemos um rendimento muito elevado do princípio ao fim. Esse é o nosso desafio para o futuro e esse é o caminho. Tudo ganhará mais força se conseguirmos transportar o que fizemos hoje para o jogo com o Vitória. É isso que vai dar sustento e solidez às dinâmicas da equipa.”

Benfica-Ajax

Taarabt: ver o jogo mais à frente

“O Adel [Taarabt] tem trabalhado muito bem e, perante a oportunidade que teve, aproveitou-a, e está a dar rendimento à equipa. É um jogador diferenciado dentro do que são as características dele. Consegue ver o jogo um bocadinho mais à frente no que são as receções orientadas, no procurar as linhas de passe, e tem estado bem. Está a atravessar um bom momento face ao que é a qualidade dele, do que corre e do que dá à equipa.”

Benfica-Ajax 1.ª mão oitavos final Champions

Yaremchuk: boa resposta em campo

“Sempre que tem sido chamado à equipa tem dado uma boa resposta. Dá algo diferente em função das suas características… pela capacidade que tem em segurar a bola, é um jogador com uma estatura elevada e que tem um bom ataque ao jogo aéreo, e ataca bem a profundidade.”

Leave a Reply