Ricardo Horta em busca do trono na Liga Europa

A rentrée da Liga Europa volta a despertar fantasias e ambições num fevereiro dedicado ao play-off de acesso aos oitavos de final da competição. Um atalho que não desconsidera as legítimas aspirações de qualquer clube ainda em prova poder chegar à final do Ramón Sánchez Pizjuán, em Sevilha, já nas cálidas temperaturas andaluzes de meados de maio.

Uma vontade comungada pelo SC Braga, que até gozou desse estatuto numa decisão inteiramente portuguesa – derrotado pelo FC Porto (0-1), em 2010/2011 -, a refletir o sentimento de um balneário desejoso de converter uma época ainda pouco exuberante numa história memorável no contexto internacional.

Ricardo Horta, o capitão da companhia, dá expressão a esse querer. O avançado de 27 anos persegue na objetividade dos números a época mais fascinante da carreira, se atentarmos no capítulo da finalização. Melhor marcador da equipa em 2021/2022, com um total de 16 golos, está a apenas oito de igualar os 24 da temporada 2019/2020, o seu melhor registo de sempre, reclamando, há muito, o regresso à Seleção Nacional.

É por aí que tem acelerado a aproximação à dupla mais concretizadora da história do clube minhoto, pelo qual acaba de assinar o 12.° bis. Do último degrau do pódio (86 golos), vê cada vez com maior nitidez as marcas de Chico Gordo (89), o segundo, e Mário Laranjo, o primeiro, ídolos arsenalistas das décadas de 1940 e 1950 e de 1970 e 1980, respetivamente.

O vício do internacional português também se alimenta da visibilidade europeia. Se em termos absolutos a coroa de máximo goleador do emblema bracarense já lhe pertence, dá-se a curiosidade de ser Galeno, novamente vestido com o azul e branco do FC Porto, o melhor marcador da equipa na Liga Europa na presente temporada.

O brasileiro é mesmo um dos jogadores que mais pontaria revelou nesta edição, com seis golos, ao lado de Ekambi, do Lyon. Ricardo Horta conta três até ao momento, mas tem em mente o sonho de destronar tudo e todos, embora a prova lhe ofereça muita concorrência. Afinal, está pintado de fresco o anúncio de ser o segundo português mais concretizador no palco europeu na temporada 2021/2022, só superado num tento por Diogo Jota, do Liverpool.

Leave a Reply