Derrota no dérbi não abana confiança de Rui Costa em Nélson Veríssimo

Autêntica espiral negativa sem fim à vista e a crise instalou-se para ficar na cabina encarnada agora liderada por Nélson Veríssimo.

A saída de Jorge Jesus não resultou no efeito desejado pelas águias que voltaram a tombar com estrondo no dérbi da final da Taça da Liga, onde até entraram a vencer mas permitindo reviravolta ao rival Sporting. Com exibição muito longe do desejado e apenas com um remate à baliza adversária… algo que nunca tinha acontecido esta temporada.

Nos 36 jogos efetuados esta época, o Benfica somou na noite de sábado a sétima derrota (segunda com Nélson Veríssimo), a que junta ainda sete empates além das 22 vitórias. Os encarnados levam 37 golos sofridos esta época. No Campeonato a águia está em terceiro lugar, a 12 pontos do líder FC Porto (tem mais um jogo) e a três do Sporting, foi eliminado da Taça de Portugal nos oitavos e finalista vencido na Taça da Liga. Pelo meio uma mudança de equipa técnica, com a saída de Jorge Jesus no final de dezembro. O único ponto positivo a que os encarnados podem agarrar-se é o apuramento para os oitavos da Champions, onde defronta o Ajax.

Nélson Veríssimo pede tempo para ajustar as suas ideias à equipa «com o comboio em andamento» depois de ter deixado cair o 3x4x3 para apostar ora no 4x4x2 ora no 4x3x3. Mas o tempo vai passando, as nuvens negras não desaparecem e a descrença dos adeptos – no que à equipa diz respeito, à capacidade do treinador para mudar o rumo ou até à capacidade de liderança de Rui Costa para inverter a tendência negativa –  aumenta, na mesma medida em que aumenta também o descontentamento de quem se senta na bancada.

Pese toda a onda negativa que se instalou, a SAD encarnada não tem planos imediatos para novas mudanças na equipa técnica. Rui Costa e seus pares querem esperar pelo final da temporada para, aí sim, fazer a avaliação perante todos os números da época que aí forem conhecidos. Veríssimo está, por isso, firme na liderança.

Leave a Reply