Nélson Veríssimo: Interino ou definitivo?

É um dos temas preferidos pela imprensa nacional, que tem “infectado” sócios e adeptos do Benfica. Mas afinal, a aposta em Nélson Veríssimo é ou não para ficar? Ou será que é só até final da época em vigor? O Terceiroanel.blog tem uma opinião.

Nélson Veríssimo tem uma história que deve ser respeitada por todos os benfiquistas. Formado como jogador e treinador sob o emblema das águias, o mister tem já um currículo de mais de 10 anos ao serviço do clube. Quase sempre ligado à formação. Um conhecedor profundo nesta área.

Chegando pela primeira vez à principal equipa como treinador adjunto de Bruno Lage, logo se sagrou campeão numa equipa técnica que lançou para a ribalta João Felix. A época seguinte teria tudo para correr bem, com a equipa a exibir as quinas de campeão nacional no equipamento, mas, depois de um arranque de época de nível altíssimo, a segunda metade da época chegou com uma anormal quebra de rítmo da equipa, de forma generalizada, que terminou com o afastamento de Bruno Lage. Mas não de Nélson Veríssimo, que segurou o barco até final dessa época.

A época seguinte foi entregue ao regressado Jorge Jesus, fazendo regressar Veríssimo à equipa B, desta vez como técnico principal. Tudo parecia correr bem para as duas formações, quando a turma principal volta a cair em termos exibicionais e de resultados (pese embora muito motivados pelos vários “erros” de arbitragem adversos). Já o Benfica B mantinha níveis exibicionais altos e a liderança isolada e destacada na Liga 2.

Após muita pressão exterior, culminada com a situação ocorrida no balneário entre Jorge Jesus e Pizzi, que colocou o plantel do lado do seu vice-capitão, Jorge Jesus é descartado por Rui Costa e a direção da SAD, e é chamado o “bombeiro” Nélson Veríssimo.

Agora, perguntam muitos: Será esta uma aposta de projecto e para durar, ou mais uma vez para durar apenas até final de época? Os nomes ao comando técnico das águias para a próxima época somam-se na comunicação social, e isso tem motivado muita conversa. Para o Terceiroanel.blog é claro que Nélson Veríssimo é o homem da estrutura que veio para ficar.

Há muito que é ambição desta direção e também dos sócios que haja maior aproveitamento do Benfica Campus. E quem em melhores condições que Nélson Veríssimo pode fazer esta ponte? Haverá concerteza outros nomes, também ligados à academia benfiquista, mas este já cá está e saberá o que tirar de melhor dos outros atletas não cá formados e que ainda evoluem na equipa principal.

Façamos este exercício: Caso Veríssimo não fique nos comandos da equipa principal para a próxima época, para onde iria? Recorde-se que a equipa B já tem um novo treinador, que veio para abraçar o projecto e não para ficar meia-época. António Oliveira é um jovem treinador também ele formado como jogador e treinador no Benfica, e com larga experiência em formação que alargou em terras de Veracruz, quando treinou as camadas jovens do São Paulo e Atlético Paranaense. Portanto, o filho de Toni veio para ficar na equipa B.

Outra hipótese para Veríssimo seria ficar como adjunto de um novo treinador que possa vir. Aqui, faltaria saber se o novo treinador aceitaria, ou até mesmo o actual técnico encarnado o aceitaria. Seria, de uma forma ou de outra, uma segunda despromoção, e, apesar de Nélson Veríssimo ser um funcionário altamente profissional, não parece credível que aceitasse uma posição destas. A proposta será mesmo para ser o treinador principal do futebol encarnado, tendo por isso o direito a fazer a pré-época seguinte nessa condição. Merece essa oportunidade. E vai tê-la na nossa opinião. Será o mais correcto de se fazer, e ganhamos todos.

Nuno Alexandre Costa

Leave a Reply