Benfica atira-se à justiça no caso “Cartão Vermelho” e questiona: “onde estão os limites?”

Através da newsletter diária, o Benfica defendeu-se das várias escutas telefónicas que têm sido reveladas ao longo das últimas semanas no âmbito da operação ‘Cartão Vermelho’. No comunicado, o Benfica recorda ainda o caso dos e-mails, pergunta «onde estão os limites» e exige a intervenção das autoridades para que se coloque «travão nesta violação grave de direitos fundamentais».

Eis o comunicado na íntegra:

«Temos assistido, ao longo das últimas semanas, à intromissão intolerável na esfera privada de diversas pessoas com responsabilidades no Sport Lisboa e Benfica.

A revelação, seletiva e a conta-gotas, de escutas de conversas privadas cujo conteúdo não tem qualquer relevância criminal trata-se, em última instância, de um ataque ao Benfica.

Ainda não há muito tempo o Clube foi vítima de um roubo de emails, sofrendo consequências irreparáveis em função da inqualificável divulgação ao público, para mais de forma truncada e deturpada, de conteúdos estritamente internos e que afetaram a sua reputação.

Desta feita estamos perante uma situação em que um instrumento de investigação das autoridades competentes – as escutas – é colocado, numa clara violação do segredo de justiça, à disposição de quem não tem pejo em escancarar a privacidade de outrem.

Qual a relevância criminal do conteúdo das conversas privadas vindas a público?

A quem interessa esta devassa do universo Benfica?

A quem beneficia a fragilização, a erosão e a destruição do Sport Lisboa e Benfica?

Haverá alguma organização (ou indivíduo) capaz de passar incólume perante a exposição pública de conversas privadas, incluindo desabafos de ocasião, frustrações do momento ou pensamentos em voz alta?

Onde estão os limites?»

O Estado de Direito exime-se de responsabilidades? Não há mesmo nenhuma autoridade disponível para colocar um travão nesta violação grave de direitos fundamentais?

Leave a Reply