Hat-trick de Darwin Nũnéz no passeio encarnado por Famalicão

Darwin e Rafa destroçaram a resistência do Famalicão, permitindo ao Benfica vencer sem contestação (1-4) na deslocação ao Minho para cumprir a 14.ª jornada da Liga Bwin. O avançado uruguaio marcou três golos, todos oferecidos pelo internacional luso, o melhor assistente da prova com nove passes para golo, que ainda contribuiu para o pecúlio com um lance de classe a culminar uma excelente jogada coletiva. A solidez evidenciada na segunda parte foi determinante no avolumar do marcador.

A entrada do Benfica em campo, com três alterações no onze face ao duelo frente ao Dínamo Kiev na 6.ª jornada do grupo E da Liga dos Campeões (e que valeu a passagem aos oitavos de final da prova), concretamente Diogo GonçalvesSeferovic e Darwin, foi letal.

Aos 2′ Otamendi, que formou o trio defensivo com André Almeida à sua direita e Vertonghen à esquerda, deixou Darwin a centímetros de desviar a bola para a baliza de Luiz Júnior, mas o uruguaio abriu o livro aos 6′. Grimaldo e Rafa desenharam a jogada pela esquerda, o português endossou a bola para Darwin, que a puxou para o meio e bateu forte, à entrada da área, para o fundo da baliza famalicense. Estava feito o 0-1.

Darwin

Sem que o ritmo fosse elevado, Heriberto, antigo jogador do Benfica, saiu lesionado e em lágrimas (11′) três minutos antes de Darwin marcar de novo. André Almeida iniciou a construção da jogada com um lançamento longo para as costas da defesa contrária, Rafa surgiu solto na cara do guarda-redes com a bola dominada na perfeição e picou-a por cima do brasileiro. Na passada, na área, Darwin fez o 0-2 com a baliza deserta. Eficácia total dos encarnados: dois remates à baliza, outros tantos golos.

Famalicão respondeu, aproveitou a menor intensidade na pressão por parte dos jogadores do Benfica e começou a criar situações de perigo. Aos 17′ foi Banza a disparar fraco ao lado, aos 18′ foi a vez de Bruno Rodrigues, e aos 22′ de novo o avançado francês, desta feita com maior perigo com a bola a sair rente ao poste direito da baliza de Odysseas.

Odysseas

Benfica sentiu o crescimento dos da casa a ganhar forma no marcador com o golo de Bruno Rodrigues, o 1-2, aos 25′, num cabeceamento ao segundo poste após cruzamento de Ivo Rodrigues na direita. Bruno Rodrigues não se conformou e, aos 29′, obrigou Odysseas a excelente defesa. O remate à entrada da área saiu colocado para o lado esquerdo do internacional grego, mas este, mesmo com dois defesas do Benfica na linha da bola, sacudiu o perigo.

Até ao intervalo assistiu-se a um equilíbrio de forças, o Famalicão baixou o ritmo da pressão, o Benfica acentuou a sua intensidade, mas alguns espaços na zona intermediária preocupavam as águias pela forma como os da casa os exploravam. Weigl foi o único sinal de perigo nesta fase com um remate aos 38′ por cima da barra, isto à entrada da área na recarga a uma bola afastada a punhos de Luiz Júnior.

Gilberto

Jorge Jesus, na leitura que fez do jogo, equilibrou a equipa ao intervalo, operando duas alterações, uma delas com implicações táticas decisivas para a solidez obtida a partir de então. Tirou Diogo Gonçalves, que vira um cartão amarelo aos 3′, colocando Gilberto e lançou Taarabt no lugar de Seferovic, juntando o marroquino a Weigl e João Mário, deixando Darwin e Rafa soltos na frente de ataque.

Um minuto de jogo na etapa complementar e o Benfica arrumou com o jogo com mais uma excelente jogada ofensiva. Aos 46′, Taarabt, após combinar com Darwin ainda próximo da divisória, galgou uns 10 metros sob pressão, colocou a bola em Rafa, que, com um excelente trabalho com o pé direito, iludiu o defensor contrário atirando em jeito e colocado para o fundo das redes famalicenses, chegando ao 1-3.

Rafa e Darwin

Benfica acelerou, aproveitou o impacto do terceiro golo e chegou ao 1-4. Taarabt ganhou espaço no corredor central, fez o passe para Darwin na esquerda, este passou a bola para Rafa já na área, devolvendo-a o 27 ao uruguaio, que não perdoou de pé esquerdo, aumentando o pecúlio das águias. Rafa fez a 9.ª assistência para golo na competição, liderando nesse parâmetro.

Marcos Paulo e Iván Jaime foram a jogo no lado do Famalicão, os primeiros sinais de inconformismo do técnico Ivo Vieira, que, após as mudanças aos 64′, voltou aos 70′ a lançar mais homens frescos no jogo: Pedro Marques e Ofori. Marcos Paulo chegou mesmo a criar perigo aos 72′, afastado por Gilberto, e as intenções dos minhotos foram sempre na procura de reduzir as diferenças, ainda que a solidez defensiva dos encarnados não tenha sido beliscada.

Famalicao-Benfica

Já depois das entradas de Paulo Bernardo, Pizzi e Gil Dias no jogo, a fechar o duelo, Pedro Marques, após um livre lateral, cabeceou a bola à barra da baliza de Odysseas, decorria então o minuto 89, com o Benfica a gerir fisicamente o desenrolar dos acontecimentos.

Benfica saiu de Famalicão com os três pontos, está a quatro da liderança da Liga Bwin, e volta a competir na quarta-feira, 15 de dezembro, às 19h00, na 3.ª e última jornada do grupo A da Taça da Liga, frente ao SC Covilhã, no Estádio da Luz.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.