As contas para os oitavos da Champions e história como factor de pressão

São fáceis as contas para o Benfica continuar rumo aos oitavos de final da Liga dos Campeões: vencer hoje o Dínamo Kiev no Estádio da Luz e esperar que o Bayern dê uma ajudinha em Munique vencendo… ou pelo menos não perdendo com o Barcelona.

Desde 2016/17, então com Rui Vitória, que o Benfica não atinge os oitavos de final da Champions. Com uma nota curiosa: nessa época o Dínamo Kiev foi também um dos adversários dos encarnados na fase de grupos, tendo as águias conseguido vencer os dois jogos (2-0 em Kiev, 1-0 na Luz).

Este é um jogo em que podem estar em causa qualquer coisa como €12,4 milhões: €2,8 milhões pela vitória mais €9,6 milhões se conseguir o apuramento para a próxima fase. Um pequeno jackpot para os cofres da SAD encarnada… que podem, por exemplo, ser determinantes para os próximos passos das águias em termos de mercado.

Jorge Jesus ficou sob pressão depois da derrota no dérbi e tudo o que não seja uma vitória nesta quarta-feira europeia deixará o treinador sob fogo ainda mais cerrado da contestação dos adeptos. Num mês de ciclo infernal…

O Benfica recebeu apenas em duas ocasiões o Dínamo Kiev na Luz e venceu em ambas. No somatório de todos os jogos, o de hoje será o sexto. Nos cinco anteriores, incluindo já o desta temporada em Kiev, três vitórias, um empate e uma derrota.

Histórico claramente favorável aos encarnados que hoje esperam manter esse registo. Nas duas ocasiões anteriores que os ucranianos visitaram Lisboa, destaque para a goleada (5-0) em 1992, na terceira ronda do grupo B, com golos de César Brito, que bisou, tal como Yuran e ainda com Isaías também a marcar.

Em 2016/17, Toto Salvio, de grande penalidade, foi o autor do único golo da partida. O guardião das águias, Ederson, defendeu também um penálti e a vitória deixou a águia com um pé nos oitavos. Tal como espera ficar hoje.

Leave a Reply