Exibição de gala fintou o que poderia ter sido mais uma injustiça no resultado

Difícil e justa a vitória do Benfica (4-1) frente ao Paços de Ferreira na 4.ª eliminatória da Taça de Portugal. Nuno Santos, médio cedido por empréstimo do Glorioso, colocou os forasteiros na frente do marcador, mas um final de risco total ordenado por Jorge Jesus levou a que as águias conseguissem acertar na finalização, ultrapassando a sina dos postes e a inspiração do guardião Vekic. Tudo começou em Grimaldo e acabou em Everton, com Seferovic e Rafa também a brilharem no jogo 400 de Jorge Jesus ao serviço do Clube.

Fiel à matriz tática assente em três centrais, com André Almeida a surgir sobre a direita (como acontecera na eliminatória anterior frente ao Trofense), Jorge Jesus lançou Gedson no meio-campo junto de Weigl e apostou em Nemanja no corredor direito, mantendo o ataque titular do último encontro oficial frente ao Braga, concretamente Rafa, Everton e Darwin.

domínio do Benfica cedo se viu no encontro, explorando sobretudo as combinações de Grimaldo e Everton pelo lado esquerdo, de onde surgiu o primeiro lance de perigo pelo internacional brasileiro, com o compatriota Flávio Ramos a tirar a bola. Antunes respondeu aos 15′, tentando surpreender de longe Helton Leite.

Benfica-Pacos de Ferreira

Seguiu-se o início das várias intervenções de qualidade do esloveno Vekic. O guarda-redes, aos 17′, opôs-se a um Darwin isolado, mas o avançado uruguaio voltou à carga no minuto seguinte sem sucesso. O Benfica acercava-se da baliza contrária, e Rafa, aos 19′, a passe longo de categoria por parte de André Almeida, atirou ao poste da baliza pacense. Foi a primeira de três bolas que bateram nos postes dos forasteiros.

Everton, aos 20′, atirou à figura de Vekic, enquanto Lucas Silva, aos 24′, à entrada da área, deu retorno com um remate ao lado da baliza encarnada, quando se encontrava em cima da linha da grande área.

O guardião do Paços já tirara uma bola de golo a Darwin e fê-lo de novo, desta feita a André Almeida. O capitão cabeceou largo após canto de Everton, a bola levou Vekic a sacudir para canto e a esbarrar de costas no seu poste direito.

Benfica-Pacos de Ferreira

Após Flávio Ramos ter assustado, aos 33′, quando chegou atrasado na pequena área a um cabeceamento de Maracás, e Lucas Silva ter obrigado Helton Leite a defesa felina à passagem dos 40′, novo momento de inspiração de Vekic no jogo. Excelente combinação de Everton com Rafa já na área contrária, com o camisola 7 a disparar forte de pé esquerdo, cruzado, para defesa de categoria do esloveno.

O intervalo teve um sabor de injustiça para as águias, que, aos 51′ viram Nemanja dar o lugar a Valentino. O internacional sérvio saiu com queixas na coxa da perna direita. Aproveitando a mexida forçada na ala direita do Benfica, o Paços de Ferreira criou o lance para o primeiro golo da partida.

Lucas Silva furou pela esquerda, cruzou, Vertonghen cortou a bola para o coração da área onde Nuno Santos, médio cedido por empréstimo do Benfica, surgiu de pronto a rematar para o fundo das redes defendidas por Helton Leite. Estava feito o 0-1 com um pedido de desculpas do atleta ainda ligado ao Clube.

Benfica-Pacos de Ferreira

Jorge Jesus reagiu com uma alteração tática, o primeiro sinal de risco à procura da passagem, empurrando a equipa para a frente. Aos 60′ André Almeida e Gedson deram lutar a Taarabt e Pizzi e as águias partiram para um 4x4x2, com Darwin e Rafa na frente, Everton e Pizzi nos corredores laterais.

equipa começou a carburar de imediato. Maracás tirou a Rafa a possibilidade de emendar o passe de morte de Everton aos 61′, e aos 65′ foi Darwin, de cabeça, a passe de classe de Pizzi, a colocar de costas a bola na barra da baliza de Vekic.

Everton, aos 71′, e Darwin, aos 73′, voltaram a ser perdulários e Jorge Jesus deu mais um safanão na equipa e no encontro. Weigl e Darwin saíram, Seferovic e Gonçalo Ramos entraram para cima dos defesas-centrais, Pizzi e Taarabt assumiram o corredor central com os laterais Valentino e Grimaldo totalmente projetados para o ataque.

Festejos

Foi o espanhol Grimaldo, de canhota, com enorme categoria, em força, a empatar o encontro (1-1) aos 78′ na cobrança de um livre direto descaído ligeiramente para a direita. A bola entrou no ângulo, inspirou a equipa e entusiasmou ainda mais o apoio benfiquista vindo das bancadas.

Três minutos bastaram para novo golo do Benfica (2-1). Seferovic, que não jogava pelo Glorioso desde 29 de agosto, frente ao Tondela, respondeu com acerto, de cabeça, ao passe teleguiado de Taarabt, levando a bola para o fundo da baliza de Vekic. O esférico desta feita bateu no poste e aninhou-se nas redes pacenses.

Benfica-Pacos de Ferreira

Benfica não abrandou na pressão sobre o Paços de Ferreira, que via os seus jogadores serem incapazes de sair para o ataque. Rafa, aos 87′, deu tranquilidade às águias com um remate de fora da área, em posição frontal, junto ao poste direito. Foi o 3-1. Rui Pires, aos 89′, ainda obrigou Helton Leite a uma defesa apertada para canto em remate executado fora da área de pé direito, o mesmo pé que Everton, aos 90’+3′, a passe de Seferovic, utilizou para fechar a contagem com um remate indefensável para Vekic (4-1). O apuramento para os oitavos de final da Taça de Portugal estava consumado (e o sorteio é já na quinta-feira, 25 de novembro).

Os comandados de Jorge Jesus voltam à ação na terça-feira, dia 23 de novembro, frente ao Barcelona, no Camp Nou, em duelo da 5.ª jornada do grupo E da Liga dos Campeões.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.