Argel lembra rivalidade e diferenças e águias e dragões

16 anos depois de deixar o Benfica, Argel está de regresso ao futebol português para liderar um Alverca com o objetivo de chegar à Liga 2. Em conversa com o jornal A BOLA o antigo central brasileiro explicou os motivos que o levaram a aceitar um desafio no terceiro escalão e passou também em revista o passado enquanto jogador, no qual conquistou títulos com Benfica e FC Porto.

«No meu tempo havia um ódio entre Benfica e FC Porto, era quente no balneário e acabava mesmo por ser perigoso. O Benfica ia jogar ao Norte e o autocarro era apedrejado, com o FC Porto vinha aqui a Lisboa acontecia a mesma coisa. Era uma rivalidade monstruosa, lembro-me perfeitamente que naquela altura o balneário da seleção era dividido entre Norte e Sul. Felizmente agora melhorou, porque as pessoas também têm mais respeito e há mais educação. Uma das coisas que contribuiu para isso foi também aquela que considero a maior derrota da minha vida, a morte do Miki Fehér. Nós a ganhar 1-0, num jogo lixado, íamos conseguir uma vitória importante em Guimarães e o Miki caiu e morreu. O futebol não pode ser isto. Depois, como ele jogou nos dois clubes, o Vítor Baia, Jorge Costa e Mourinho vieram ao velório com uma coroa de flores, ajudou a acalmar os ânimos. O Luiz Felipe Scolari também foi muito importante para quebrar essa rixa», contou.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.