Jorge Jesus: “Objectivo é o mesmo de sempre, vencer e conquistar o troféu”

Jorge Jesus fez a antevisão ao Benfica-Paços de Ferreira, jogo da 4.ª eliminatória da Taça de Portugal, agendado para as 20h45 desta sexta-feira, 19 de novembro, considerando que o mesmo será “difícil” para a sua equipa. Mas o objetivo é o mesmo de sempre, “vencer” e chegar ao “objetivo” de conquistar o troféu.

O treinador do Benfica não tem dúvidas da qualidade do Paços de Ferreira, do conhecimento técnico e tático que o homólogo Jorge Simão tem da sua equipa, por isso garante pensar apenas no embate desta sexta-feira, 19 de novembro, antes de olhar para o confronto com o Barcelona, dia 23 de novembro, a contar para a 5.ª jornada do grupo E da Liga dos Campeões

A lesão de Lucas Veríssimo e os compromissos das seleções nacionais, pelo desgaste que podem ter provocado aos atletas, poderão ser suscetíveis de uma mudança de sistema tático, com o regresso do 4x4x2, admitiu Jorge Jesus, que vê um Gonçalo Ramos com “alguma confiança” após os quatro golos em dois jogos pelos Sub-21 de Portugal frente ao Chipre.

Jorge Jesus

Que antevisão faz a este jogo do Paços de Ferreira e que comentário, mais pessoal, faz ao facto de que vai fazer o jogo 400 ao serviço do Benfica?

É um jogo de Taça de Portugal e tudo pode acontecer. É onde as equipas do campeonato português podem pensar em atingir e conquistar um troféu. É o sonho de todos os jogadores e treinadores que estão fora do contexto de quem joga para ser campeão. O Paços de Ferreira tem esse direito, vai dificultar ao máximo o jogo, não tenho dúvidas, e o Benfica preparou-se para poder fazer um excelente jogo, como fez com o Braga, de modo a poder passar a eliminatória. Vai ser um jogo difícil e competitivo para o Benfica. O Paços de Ferreira é uma boa equipa, bem organizada quando defende, sabe os momentos do jogo, tem jogadores internacionais de outros países, caso do Eustáquio. Tenho um conhecimento profundo do Paços de Ferreira, assim como o Jorge Simão tem do Benfica. São sempre muito mais difíceis os nossos jogos do Campeonato e da Taça de Portugal, porque os treinadores portugueses sabem ter estratégias para anular aquilo que as equipas têm de bom. Quanto aos 400 jogos… são um sinal dos anos que tenho estado no Benfica, a primeira vez seis e agora vou para o segundo ano e espero ter muito mais. É um sentimento de orgulho meu estar tantos anos num clube de top europeu e português. É para isso que trabalho diariamente, com a mesma paixão e interesse.

Jorge Jesus

“A Taça de Portugal é o sonho de todos os jogadores e treinadores que estão fora do contexto de quem joga para ser campeão. O Paços de Ferreira vai dificultar ao máximo o jogo, não tenho dúvidas!”

Jorge Jesus

Vai iniciar-se um novo ciclo competitivo com muitas decisões. O último começou com o Trofense, onde o Benfica teve muitas dificuldades, espera que esse jogo sirva de alerta?

É assim a calendarização e os objetivos dos grandes clubes. Se quisermos estar em todas as competições para ganhar haverá sempre dificuldades e teremos de tomar decisões em função dos jogos, neste caso para dois jogos [Paços de Ferreira e Barcelona]. Qual é o mais importante? Não sei! Para mim são os dois! Os jogos da Taça de Portugal são, para todos os adeptos, e eu particularmente, uma paixão antiga, pois é a disputa do segundo troféu mais importante. Para a Champions, o primeiro objetivo foi conquistado, que era entrar na fase de grupos, quanto ao segundo, quando ninguém nos dava possibilidades de passar num grupo com Barcelona e Bayern Munique, discutimos o apuramento com o Barcelona e eu, enquanto treinador do Benfica, sinto-me muito orgulhoso.

Jorge Jesus

“Paços de Ferreira ou Barcelona? Qual o jogo mais importante? Não sei! Para mim são os dois! O jogo da Taça de Portugal é para um troféu, o Barcelona é para passar”

Perante a lesão de Lucas Veríssimo, deixando eventualmente Otamendi fora das opções iniciais para o jogo devido à chegada tardia da seleção, está tentado a adaptar um jogador à posição ou regressar à tática de 4x4x2?

Sim, é uma hipótese utilizar o 4x4x2. Se o Lucas Veríssimo está de fora e o Otamendi possa estar também é natural que possa jogar em outro sistema, temos trabalhado nisso. É uma possibilidade.

Como será este jogo com o Paços de Ferreira perante tantas lesões e as ausências de atletas ao serviço das seleções nacionais?

Quanto a lesionados, agora, temos três: Lucas Veríssimo, Diogo Gonçalves e Rodrigo Pinho. Temos todos os outros atletas recuperados, além dos jogadores que estiveram nas seleções nacionais e que os vi hoje, mas ainda não se treinaram. Os jogadores que chegaram hoje vamos ver, vamos ver o que vai acontecer.  Não devem estar em condições para começar o jogo com o Paços de Ferreira.

Jorge Jesus

“Temos três lesionados: Lucas Veríssimo, Diogo Gonçalves e Rodrigo Pinho”

Olhando para a proximidade dos jogos do Paços de Ferreira e Barcelona, se estivéssemos a falar de um jogo de póquer, em qual apostaria as fichas todas? 

Primeiro penso no Paços de Ferreira, pois é um objetivo conquistar o troféu. Na Champions o objetivo é de passar, podemos sonhar, ando há muitos anos a sonhar nele. Onde vou apostar as fichas todas é no jogo com o Paços de Ferreira.

Gonçalo Ramos marcou três golos no último jogo da Seleção Sub-21, sente alguma ansiedade no jogador por ainda não ter marcado esta época pelo Benfica?

É o problema de todos os avançados, que vivem de golos. Quando estão muito tempo sem marcar sentem algum desconforto. O Gonçalo Ramos joga num grande clube, tem jogadores na posição dele que são internacionais nos países deles, como o Seferovic, Yaremchuk e Darwin, agora marcou quatro golos [contando com o golo obtido no primeiro jogo dos Sub-21 no Chipre], deu-lhe alguma confiança. Mas durante estas duas semanas tive comigo a trabalhar Darwin e Seferovic, a prioridade é para os que estiveram a trabalhar comigo.

Jorge Jesus

“Gonçalo Ramos joga num grande clube e tem na sua posição jogadores internacionais nos países deles. Os quatro golos deram-lhe alguma confiança”

Lucas Veríssimo vai ficar fora das opções até ao final da temporada, isso obriga o treinador do Benfica a ir ao mercado ou irá procurar soluções na equipa?

No jogo do Braga foi tudo perfeito, menos o momento do Lucas Veríssimo. Foi dos melhores jogos que fizemos este ano por aquilo que defino como um grande jogo, não pelos seis golos… a lesão do Lucas Veríssimo foi o aspeto negativo. É um jogador da seleção do Brasil, importantíssimo na nossa estratégia de jogo. Temos muito tempo até janeiro, vou trabalhar em cima do Ferro, André Almeida, Tomás Araújo e outros que possa adaptar se quiser jogar numa estrutura de três defesas e depois logo se vê. Não penso em nada disso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.