Benfica obrigado a resolver no prolongamento eliminatória tornada difícil na Trofa

Não faltaram oportunidades, mas foi preciso jogar o prolongamento para decidir o vencedor. Everton colocou o Benfica em vantagem, mas o desperdício e a diferença mínima fizeram o Trofense acreditar e empatar o duelo. André Almeida resolveu aos 94′ e as águias seguem para a 4.ª eliminatória da prova-rainha.

Várias frentes em disputa, ressaca dos jogos das seleções nacionais, com Jorge Jesus a assumir claramente a rotatividade do plantel. Todos contam e todos estão aptos para entrar em ação.

André Almeida

Desafio da Taça de Portugal, 3.ª eliminatória na Trofa, com o onze escalado pelo técnico dos encarnados a ser sintomático e a apresentar vários rostos menos habituais: Helton Leite, André Almeida, Vertonghen, Morato, Gilberto, Meïte, Taarabt, Gil Dias, Pizzi, Everton e Gonçalo Ramos.

Apito inicial de António Nobre, da AF Leiria, com a chuva a fazer-se sentir no recinto, mas com as bancadas em festa e ninguém a arredar pé.

A primeira grande oportunidade de golo surgiu logo aos 7′. Pizzi a trabalhar bem na esquerda, a cruzar para a área, com Caio a desviar e a tirar o pão da boca a Everton.

Rui Duarte prometera uma equipa combativa, e num jogo de “mata-mata”, sem nada a perder, assim foi. Primeiro aos 12′, com Vertonghen a limpar o perigo, após uma falha de comunicação entre Meïte e Helton Leite; depois, aos 17′, a bola chegou mesmo a estar no fundo das redes das águias, mas o golo foi invalidado por fora de jogo de Elias Achouri.

Everton

Jogo muito interessante de seguir, com o minuto 20 a trazer uma dupla oportunidade para os encarnados. Pizzi, após triangulação com Gonçalo Ramos, ofereceu a Everton, mas Rodrigo, com uma grande defesa, disse “não”; na ressaca foi Meïte a disparar de longe para nova intervenção do guardião do Trofense… cheirava a golo e não tardou!

Everton, que momentos antes tinha tirado as medidas à baliza adversária, pegou na régua e no esquadro e desta vez não permitiu a defesa a Rodrigo Moura. Gil Dias serviu e o médio atacante brasileiro disparou em zona central para o 0-1 e para a festa nas bancadas (21′).

Depois da substituição forçada nos anfitriões aos 6′ (saída de Diedhiou para a entrada de Elias Achouri), à meia hora de jogo nova substituição forçada, desta feita no Benfica, com Gil Dias a ter de abandonar o relvado e a dar lugar a Valentino.

Taarabt

O ritmo e a intensidade mantiveram-se e Everton esteve muito perto de bisar aos 32′. Passe de Taarabt, remate rasteiro e o esférico rasou o poste… Ora, aos 36′ foi mesmo o internacional marroquino a estar perto de marcar, mas mais uma vez a redondinha saiu ao lado. Aos 39′, Everton descobriu Gonçalo Ramos, o avançado luso tentou picar a bola, mas Rodrigo estava atento. Quem também estava atento era João Paulo, que com um corte in extremis negou o golo ao cabeceamento de Vertonghen após cruzamento do 21 das águias.

Em cima dos 45′, defesa magistral de Rodrigo, já em queda e com o pé direito, a negar o golo a Taarabat.

Antes, aos 43′, Caio Marcelo tocou na bola com o braço esquerdo na área, mas António Nobre mandou seguir jogo e nada assinalou: era grande penalidade favorável aos encarnados. 

Depois de uns primeiros 20 minutos em que o Trofense olhou o Benfica nos olhos, após o golo dos encarnados, e com o correr dos minutos, as águias pegaram por completo na partida, tiveram várias oportunidades para dilatar, mas sempre perante um adversário brioso e a usar todas as suas armas. Ao intervalo, 0-1 favorável para a formação comandada por Jorge Jesus, resultado que pecava por escasso face ao produzido.

Everton

Recomeço e a toada a manter-se, com o Benfica, como era, aliás expectável, a tomar conta das ocorrências. E esteve muito perto o 0-2… Cruzamento de Pizzi com conta, peso e medida a partir da esquerda, e Gonçalo Ramos quase, quase a conseguir a emenda ao segundo poste.

Aos 50′ mais uma substituição forçada. Valentino, que entrara para o lugar de Gil Dias, a ter de sair e a entrar Ferro.

O Benfica controlava, o Trofense espreitava o contragolpe e, aos 58′, numa grande jogada individual, Elias Achouri acreditou e rematou forte. O esférico beijou as malhas laterais, mas do lado exterior.

Helton

A vencer pela margem mínima (61′), Jorge Jesus mostrou querer mais e levou a cabo três substituições de uma assentada: saídas de Taarabt, Meïte e Gonçalo Ramos, entradas de João Mário, Weigl e Yaremchuk.

E o jogo mexeu, com a bola a circular mais rapidamente e o entrosamento a surgir de forma mais natural, mas sem efeitos práticos.

Everton, mais uma vez, esteve perto de bisar (63′); Pizzi tentou a sorte em duas ocasiões seguidas, mas Rodrigo Moura primeiro encaixou (66′) e, depois, a bola, disparada em arco, saiu ao lado (69′); e Yaremchuk rematou aos 71′, mas a bola foi cortada… As oportunidades sucediam-se, mas o resultado, perigoso, mantinha-se.

O Benfica não marcou e, mais uma vez lá veio o ditado popular a mostrar que tem a sua razão, sofreu!

Gonçalo Ramos

Aos 80′, empate na Trofa (1-1). Bruno Almeida a construir, Tiago André a cruzar e Pachu subiu mais alto no coração da área, cabeceando sem hipótese para Helton, que viu a bola entrar no ângulo. Tudo em aberto!

Nos derradeiros minutos, naturalmente, as águias intensificaram a pressão em busca de nova vantagem, tiveram oportunidades para isso, mas até ao apito final do tempo regulamentar o resultado não se alterou (1-1).

Festejos

Seguiu-se então o prolongamento e foram só precisos quatro minutos para o golo (94′). Weigl, com um passe a rasgar, descobriu André Almeida, e o capitão, em terrenos que não costumam ser os seus, encarou Rodrigo com coragem e rematou certeiro para o 1-2.

E houve emoção até ao final, com o Trofense a não deitar a toalha ao chão, perante um Benfica a querer controlar e gerir.

Apito final, triunfo para os encarnados, numa partida que poderiam ter decidido mais cedo e onde, perante tanto desperdício e um Trofense que acreditou sempre, acabaram por ter de resolver no prolongamento. Contas feitas, 1-2, missão cumprida e está carimbada a presença na 4.ª eliminatória da Taça de Portugal.

Trofense-Benfica

O Benfica torna a entrar em campo já na próxima quarta-feira, dia 20 de outubro, com a receção ao Bayern Munique. O jogo da 3.ª jornada do grupo E da Champions League tem o apito inicial marcado para as 20h00 no Estádio da Luz.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.