João Mário foi o porta-voz da Seleção Nacional antes dos jogos com Qatar e Luxemburgo

João Mário foi porta voz da Seleção esta sexta-feira, falando sobre como vê agora o seu papel na equipa de Fernando Santos na preparação para jogos com Qatar (sábado) e Luxemburgo (terça-feira).

Como foi ver a seleção à distância: «Foi muito difícil estar fora do grupo, queremos sempre estar, sentimo-nos valorizados, continuei sempre a trabalhar, sempre acreditei e felizmente estou de volta.»

Como foi não ir ao Euro-2020 depois de ser campeão no Sporting: «A Seleção é o momento. No ano passado na minha posição houve muitas opções com época boa. Temos muitas opções para todas as posições e cabe sempre ao mister decidir. Acima de tudo respeito, porque foram chamados grandes jogadores. O mister entendeu que no ano passado não era e este sim, tenho de corresponder.»

Diferenças entre o jogador que era de 2016 para agora: «Era muito novo nesse Euro [23 anos], na altura senti algumas dificuldades físicas em jogos muito exigentes. Hoje estou mais completo, mais maduro, fruto também da experiência no estrangeiro, fui crescendo. O entendimento pelo jogo é diferente e capacidade física também, para jogar Liga dos Campeões e Seleção. Mal seria se passados alguns anos não fosse.»

João Mário comentou esta manhã a chamada em estreia de Matheus Nunes à Seleção, sublinhando que não vê o ex-colega como concorrente.

«É um grande jogador, que conheço bem, com quem trabalhei a época toda no ano passado. Fico feliz por ele, é algo que ele queria, foi muito bem recebido aqui. Não creio que seja meu concorrente, é um colega, estamos todos para o mesmo.  Espero que possa ser feliz por Portugal.»

Portugal vai defrontar o Qatar, sábado, em jogo particular, e recebe depois o Luxemburgo na qualificação para o Mundial. «Fizemos já um particular com o Qatar, conhecemos melhor depois  do jogo que fizemos; será bom jogo no sábado. Também temos presente a dificuldade do jogo com o Luxemburgo: temos de respeitar e ter grande equilíbrio, é essa a mensagem que o selecionador nos tem passado – podemos ganhar a qualquer um, mas respeitando o adversário.»

João Mário foi questionado sobre o facto de jogar em Portugal lhe tira visibilidade e competitividade na hora de ser chamado à Seleção.

«Não sei os critérios do mister nesse aspeto, mas olhando para realidade dos três grandes e do SC Braga jogamos Liga dos Campeões, Liga Europa,  estamos sempre a jogar com as melhores equipas da Europa. Acho que não falta preparação a quem joga em Portugal. Também temos grandes jogadores em grandes equipas em campeonatos mais competitivos que o nosso, quem joga fora como Espanha, Itália ou Inglaterra terá sempre alguma vantagem por jogar num campeonato mais competitivo do que o nosso.»

O jogador do Benfica prometeu empenho para os jogos frente a Qatar e Luxemburgo. «O jogo com o Luxemburgo conta 3 pontos, mas primeiro o Qatar. Quem jogar é sempre orgulho e espaço de valorização.»

Falando sobre o seu grande momento de forma desde que assinou pelo Benfica.

«Muitas vezes vir à Seleção depende daquilo que é o momento, o modo como as equipas jogam, não penso muito nisso. Estou contente pelo meu momento no Benfica mas aqui quero deixar um pouco os clubes de parte, pensar no nós e não no eu, não quero falar de Benfica ou Sporting.»

João Mário foi porta voz da Seleção esta sexta-feira, falando sobre o seu grande momento de forma desde que assinou pelo Benfica.

«Muitas vezes vir à Seleção depende daquilo que é o momento, o modo como as equipas jogam, não penso muito nisso. Estou contente pelo meu momento no Benfica mas aqui quero deixar um pouco os clubes de parte, pensar no nós e não no eu, não quero falar de Benfica ou Sporting.»

Em que é que a mudança para o Benfica o fez evoluir: «Não digo que tenha isso que me levou à Seleção, sou grato ao Benfica e ao treinador Jorge Jesus pela forma como me recebeu numa fase inicial. Não sei se foi só por isso, mas conheço bem as ideias de Jesus, adaptei-me rápido por isso, identifiquei-me com as ideias dele e gosto do estilo de futebol, talvez seja por isso o meu rendimento no Benfica.»

No Benfica costuma jogar com defesa a 3, aqui costuma ser a 4, como fica mais confortável? E meio- campo a 3 ou 4? «No clube trabalhamos todos os dias, há muita rotina. No Benfica também variamos,  sinto-me confortável no meio, independentemente de ser a jogar a dois ou três, também já conheço bem o Matheus Nunes, o Palhinha, o William Carvalho. O que o mister entender estarei preparado, a minha única preferência é jogar pelo centro e não por fora.»

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.