Jorge Jesus acredita que duelo com Portimonense não será fácil porque defendem bem

Jorge Jesus fez a antevisão ao Benfica-Portimonense, jogo referente à 8.ª jornada da Liga Bwin, uma partida agendada para as 18h00 de domingo, dia 3 de outubro, no Estádio da Luz, garantindo que o duelo “não será fácil”, até porque o oponente “defende bem”.

Se a liderança da Liga Bwin é fator motivacional a ter em conta entre os comandados de Jorge Jesus, o triunfo frente ao Barcelona, a meio da semana, para a Liga dos Campeões oferece um incremento de confiança reconhecido pelo técnico, que, ainda assim, deixa o alerta para os perigos que o Portimonense representa. Os golos sofridos, quatro, os mesmos que o Benfica na competição, são “um sinal” a ter em conta, até porque as “marcações diretas e a bola parada” prometem ser armas dos forasteiros. E face ao Barcelona, mesmo sendo realidades distintas, Jorge Jesus não tem dúvidas: “A qualidade ofensiva do Portimonense não é a mesma que a do Barcelona, mas não tenho dúvidas que vai defender muito melhor que o Barcelona defendeu na Luz.”

Jorge Jesus

Que tipo de jogo espera frente ao Portimonense, são previsíveis alterações na equipa num jogo em que o Estádio da Luz poderá voltar a estar cheio um ano de meio depois? 

É um jogo completamente diferente do que tivemos com o Barcelona, estamos focados neste rival. O Portimonense, desde o jogo da Champions, é o nosso foco. Jogamos para ganhar e a vitória frente ao Portimonense é tão importante como a de quarta-feira, um adversário que tem tantos golos sofridos como nós… é um sinal de uma equipa que defende bem, que nos vai criar muitos problemas na sua qualidade de organização defensiva, estamos focados nisso. É um adversário que faz muitas marcações diretas, procura a bola parada, onde é forte. Será uma equipa competitiva, que vai dificultar ao máximo a conquista dos três pontos. O facto de não haver restrições de lotação para os adeptos, para nós é um incentivo, uma ajuda, pois os adeptos do Benfica ajudam a equipa a entrar no jogo, que a equipa tenha muita confiança… não sei quantas pessoas devem estar no Estádio da Luz, pelos menos 50 mil devem estar, e as dificuldades que os adversários podem colocar, com os nossos adeptos podem tornar-se mais fáceis. Queremos a 8.ª vitória no campeonato.

Jorge Jesus

Quando se fala de mudança de chip de competição é mais fácil fazê-lo do campeonato para a Liga dos Campeões do que o contrário. Esta semana o Benfica venceu o Barcelona, que não é qualquer adversário, por 3-0, que também não é qualquer resultado… de facto, a mudança é mais difícil de fazer?   

É, mas não é só uma mudança psicológica, também é física. Na Champions a intensidade e desgaste são muito maiores fisicamente e emocionalmente do que numa competição nacional. Faz com que os jogadores… eles de facto mudam o chip, a sua capacidade física e forma de pensar mais rápido é que não está lá, ela baixa a intensidade do jogo e dá a sensação que perde isso por uma questão física e muitas vezes é pelo desgaste emocional. Os jogos com maior impacto na Champions têm influência até para os adeptos. Vão a pensar que demos 3-0 ao Barcelona e também será assim com o Portimonense, mas não será igual.

Foi mais fácil preparar o jogo com o Portimonense pela vitória frente ao Barcelona ou mais difícil pelo alerta que sentiu necessidade de dar aos jogadores?

Tive quatro dias para preparar o jogo, se tivesse três seria pior. Teoricamente é mais fácil, não tens de introduzir tanta matéria. É como na escola, comigo era assim, com tanta matéria que a professora dava eu ficava bloqueado e aos jogadores acontece a mesma coisa, não foi preciso dar tanta matéria para o Portimonense, também a qualidade ofensiva do Portimonense não é a mesma que a do Barcelona, mas não tenho dúvidas que vai defender muito melhor do que o Barcelona defendeu na Luz.

Jorge Jesus

A lesão de Valentino vai obrigar a uma alteração na equipa face ao jogo com o Barcelona. Vai efetuar mais mudanças?

Não vai ser só aí [lugar de Valentino como lateral-direito]. Só tivemos o problema do Valentino no jogo, mas temos o Seferovic que ainda recupera da lesão. Os outros jogadores estão em condições para jogar, a estratégia não muda nada. Se há setores onde o Benfica tem muita qualidade é nas laterais, vai entrar outro jogador para a posição do Valentino.

João Mário é um jogador influente no Benfica. Tal deve-se ao facto de ambos já se conhecerem bem um ao outro ou há outro motivo?

O João Mário é um jogador que todas as pessoas conhecem, o seu passado, não só no rival Sporting, mas também fora do Sporting. Foi um jogador que custou 45 milhões de euros ao Inter de Milão, por isso tem de ter essa qualidade para custar o que custou. Teve a influência que teve no nosso rival, onde foi campeão nacional na última época, conheço-o muito bem, é um jogador ideal para aquela função [no meio-campo], mas pode fazer várias funções em várias posições. Entrou como uma luva, adaptou-se bem, tem qualidade técnica e tática, cultura de pessoa bem estruturada mentalmente, por isso as coisas têm sido fáceis para ele. Sei quais as melhores qualidades dele e o melhor que posso tirar do jogador.

Jorge Jesus

Quando o coletivo é forte, as individualidades também sobressaem, neste caso como tem visto o crescimento de Weigl?

A valorização da equipa coletivamente faz com que os jogadores individualmente se possam destacar e isso é um dado em todas as equipas. Dentro do momento que o Benfica joga, com a qualidade que têm assistido, o Weigl tem crescido com a equipa. Os jogadores também crescem, ele conhece muito melhor as ideias da equipa, os jogadores conhecem melhor o que fazer quando temos bola ou não a temos, as jogadas trabalhadas, já sabem o que a equipa quer, e isso dá um rendimento maior. Depois, o Weigl tem uma resistência física muito grande. Contra o Barcelona correu 12 quilómetros e pouco, é uma média de um jogador com muita capacidade, depois está muito confiante. E quando a cabeça dos jogadores está boa eles correm mais e jogam mais do que o que pensam, é o que acontece com o Weigl. 

Vem aí mais uma paragem para os compromissos das seleções, será boa para recuperar os jogadores ou teme que a equipa perca este ritmo e a série vitoriosa?

Isto no futebol não é o que gostávamos ou queremos. Estamos dependentes da calendarização nacional e internacional, já se sabe que há as datas FIFA para parar. Todos os treinadores gostavam de dar continuidade aos jogos, porque quando os jogadores saem da equipa vão ser jogadores da sua seleção, com treinos diferentes, ideias diferentes, quando chegam vêm fora dela, fora da ideia do treinador do Benfica. Temos de nos adaptar, é uma realidade.

Um pensamento sobre “Jorge Jesus acredita que duelo com Portimonense não será fácil porque defendem bem

  1. Os verdadeiros benfiquistas anti-vieiristas desapareceram esta semana, devem estar ainda a festejar a dupla vitória sobre o Barça a passagem do Andebol, do Basquetebol e super taça do feminino do futsal e do basquetebol. Nada do Shadows, Jotapê, Águia preocupada e afins.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.