Jorge Jesus fez a análise à vitória benfiquista sobre o PSV Eindhoven

Jorge Jesus fez a análise ao jogo entre Benfica e PSV, que terminou com o triunfo das águias por 2-1, relativo à primeira mão do play-off da Liga dos Campeões.

Na zona de entrevistas rápidas Jorge Jesus começou por elogiar o desempenho do Benfica e a forma como se bateu perante uma “grande equipa” com “excelentes jogadores no ataque“, defendendo que, no nível da competição, “qualquer equipa tem capacidade para vencer”, independentemente do campo em que esteja a atuar.

Sport Lisboa e Benfica

Análise com rasgados elogios

“É preciso referenciar que ganhámos a uma grande equipa e que o Benfica fez um grande jogo. Há momentos de jogo em que as equipas nem sempre estão bem, depois há organização e desorganização das mesmas e o treinador está lá para intervir. A equipa jogou muito bem. Temos de ser fortes para vencer, e fomos. Queríamos vencer, vencemos, e agora, na Holanda, podemos fazer dois resultados. Estamos muito melhor do que quando começámos o primeiro jogo. Interessava era ganhar. Era melhor ganhar por 2-0, mas… tivemos a hipótese do 3-0 pelo Rafa, antes de sofrermos o golo. Acabámos por sofrer o 2-1, mas temos de dar mérito ao jogador do PSV [Gakpo]. Também teve sorte no desvio e o Odysseas não conseguiu defender aquela bola. É uma equipa com grandes jogadores na frente, defendemos bem, mas na segunda parte não conseguimos sair em contra-ataque. Na primeira parte fomos muito fortes técnica e taticamente. Defendemos bem e saímos bem. Não fomos tão fortes a sair no segundo tempo, o Pizzi e o Rafa ficaram com menos frescura física, foram obrigados a defender muito. Tentámos mudar com as quatro alterações, estávamos a perder a nossa frescura, a perder duelos, era preciso gente mais fresca, foi o que fizemos. Estabilizámos a equipa e tivemos mais bola.”

Grimaldo

Importância de controlar Madueke

“Conseguimos controlar principalmente o Madueke. É um jogador que joga sozinho, joga só no drible e quando tem espaço desequilibra. O Grimaldo esteve bem, mas teve sempre uma segunda ajuda a defender. O PSV tem grandes jogadores, mas o Madueke é o grande jogador desta equipa. São duas equipas para estar na fase de grupos e ter ambições de seguir na Liga dos Campeões. O adversário não é fácil de parar ofensivamente, deixámos fazer a posse de bola no meio-campo deles como estratégia, era uma posse de bola que não nos trazia problemas. Götze, por exemplo, é um jogador que, sem ter bola, joga muito. Põe os outros a jogar sem bola, pelos movimentos e pelo conhecimento posicional. Com bola, se errou um passe foi muito. É um jogador cujo valor não oferece dúvidas. O PSV tem quatro excelentes avançados, por exemplo, o Zahavi tem muita qualidade e mobilidade. Só um grande Benfica pode ganhar os dois jogos. Ganhou o primeiro, e agora vamo-nos preparar para ganhar na Holanda. Partimos em vantagem, que não nos garante nada. Nenhum resultado garantiria.”

Pizzi

O que muda com o golo de Gakpo

“Nesta fase, quando jogamos com estas equipas, ambas podem ganhar fora e perder em casa. Temos todas as condições para ganhar na Holanda. Neste início de época são cinco vitórias, e esta com um adversário muito forte. O PSV também perdeu com uma grande equipa. Estamos confiantes que temos todas as possibilidades de entrar na fase de grupos da Liga dos Campeões.”

Meïte

Quatro substituições por necessidade 

“Ia fazer três substituições, mas o Diogo Gonçalves sentiu uma dor na anca e já não dava para jogar. Houve confusão porque não estava inicialmente incluído nos planos. Os quatro jogadores restabeleceram algum poder no nosso corredor central. Weigl e João Mário já não estavam com muita capacidade para ganhar os duelos. Meïte deu também mais poder nas disputas e o Everton ajudou o Grimaldo. Tivemos de fechar um bocadinho o corredor e ele ajudou a fechar. Com as substituições que fizemos acabámos por segurar o jogo e ter mais bola. Só um Benfica forte pode vencer uma equipa forte como o PSV.”

Odysseas

A influência de Odysseas e Yaremchuk

“Odysseas esteve seguro, como toda a equipa. Sofreu um golo porque a finalização do jogador o PSV é boa, mas houve um ressalto no Otamendi, senão defendia a bola. Fez um bom jogo defensivo como a equipa. O Yaremchuk? Quando o contratámos, contávamos que ajudasse a equipa. É um finalizador, não é muito móvel e rápido, mas as poucas ações que tem faz bem. Está nos dois golos do Benfica. Com os jogos a doer vai ter de ser lançado no jogo. Também será assim para o André Almeida. Gostámos do jogo dele, mas tem mais argumentos para ajudar ainda mais a equipa.”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.