Ação judicial de Mattamouros considerada pela SAD de incorreta e inexata

A Benfica, SAD, presidida por Luís Filipe Vieira, assumiu ter sido citada em relação ao processo levantado pelo advogado Jorge Mattamouros. A informação surge no prospeto que a sociedade apresentou com o novo empréstimo obrigacionista e revela igualmente que não são esperadas consequências.

«A 22 de junho de 2021, o Benfica e o seu presidente Luís Filipe Vieira foram citados para os termos de uma ação judicial instaurada no Tribunal de Comarca de Lisboa pelo senhor Dr. Jorge Mattamouros, nos termos da qual o autor peticiona a imediata perda de mandato do Sr. Luís Filipe Vieira, enquanto presidente do clube, a anulação da deliberação tomada pela Assembleia Geral do Benfica, em 29 de outubro de 2020, relativa à eleição dos membros dos Órgãos Sociais para o quadriénio 2020/2024, e consequente perda de mandato dos membros aí eleitos, assim como a condenação do Benfica a convocar novo ato eleitoral e a suportar os custos relacionadas com a contratação de uma empresa independente, responsável por acompanhar a nova eleição. Independentemente de o processo se encontrar ainda em fase embrionária, analisados perfuntoriamente os fundamentos da ação judicial, o Conselho de Administração da Benfica, SAD entende serem incorretos e inexatos os pressupostos factuais com base nos quais o autor constrói a ação judicial, razão pela qual não antevê que da referida ação venha a resultar qualquer condenação para o Benfica ou para o presidente do clube», pode ler-se no documento, que reforça a segurança da sociedade em relação ao desfecho de um processo que tem origem nas eleições de outubro, também alvo de reclamação por parte do movimento Servir o Benfica, que espera realização de Assembleia Geral Extraordiária. Não se antecipa que do processo venha a resultar qualquer responsabilidade para a Benfica SAD, seja de forma direta, seja de forma indireta», refere-se.

Leave a Reply