Benfica desperdiça factor casa e vai jogar a “negra” no Dragão Caixa

Vai ser decidido na “negra”. Neste domingo, no Pavilhão Fidelidade, a equipa de hóquei em patins do Benfica perdeu com o FC Porto por 3-6 e adiou a decisão da meia-final do play-off do Campeonato Nacional para o dia 3 de junho. 

Esta partida era a derradeira oportunidade para as águias carimbarem o passaporte para a final sem terem de passar pela “negra”. Depois de duas vitórias encarnadas no Dragão Arena (5-7 e 5-6), os dragões vieram à Luz reduzir a eliminatória: 3-5.

4.º encontro da meia-final abriu com o tento do FC Porto. Gonçalo Alves fletiu da direita para dentro e rematou rasteiro e colocado sem hipóteses para Pedro Henriques. Era o 0-1, aos 2′, no Pavilhão Fidelidade. Aos 4′, o clássico esteve interrompido para se prestar assistência a Valter Neves após ter apanhado com a bola na cara. O empate (1-1) no jogo apareceu aos 6′Jogada pelo corredor central de Sergi Aragonès e remate do meio da rua, colocado, que bateu Xavi Malián. 

Hóquei em Patins

O clássico estava a decorrer a todo o gás e Rafa, aos 9′, através de um contra-ataque letal, a fazer o 1-2. A vencer, os azuis e brancos carregavam e só não fizeram o golo em duas ocasiões por Ezequiel Mena porque Pedro Henriques esteve gigante entre os postes. O Benfica respondeu de imediato, aos 12′, por Nicolía, mas o tiro do argentino embateu no poste. Aos 15′, de novo Pedro Henriques a estar a grande nível ao defender um livre direto marcado por Gonçalo Alves. 

O jogo entrou depois numa fase algo incaracterística, com muitos ataques desperdiçados de parte a parte e muitas perdas de bola. Ainda assim, aos 23′, o Benfica empatou (2-2). O FC Porto atingiu a 10.ª falta e Nicolía teve direito a um livre direto. Xavi Malián ainda defendeu o primeiro remate, mas não conseguiu suster a recarga do camisola 5. Bola ao centro e… golo dos portistas. Jogada de Cocco, assistência para Carlo Di Benedetto e 2-3, aos 24′. Resultado ao intervalo: 2-3 para o FC Porto. 

Na segunda parte, o jogo manteve-se aberto. Aos 28′, o esférico entrou na baliza do FC Porto, mas a equipa de arbitragem assinalou bola alta; aos 30′ foi a vez de Pedro Henriques se mostrar na baliza benfiquista ao evitar o quarto tento azul e branco. Aos 35′, novo livre direto para os da Luz devido à 15.ª falta do FC Porto e Ordoñez, com excelente execução, a bater Xavi Malián e a fazer o 3-3

Aos 40′, os azuis e brancos dispuseram de um livre direto, mas Carlo Di Benedetto não conseguiu ultrapassar Pedro Henriques. Na jogada seguinte, grande penalidade para o Benfica, mas Xavi Malián não permitiu o 4-3 a Ordoñez. Não marcaram os encarnados, faturaram os portistas. O Benfica atingiu a 10.ª falta e Gonçalo Alves, de livre direto, a disparar para o 3-4 (42′). No minuto seguinte, numa transição rápida, Ezequiel Mena apareceu na cara de Pedro Henriques, mas não conseguiu o golo. 

Na frente do marcador, o FC Porto jogou com o tempo de jogo, demorando os seus ataques ao máximo. O Benfica, por sua vez, arriscava tudo para evitar a “negra” e até retirou o guarda-redes da baliza para ter vantagem nos jogadores de rinque, mas foram os dragões a aproveitar esse momento e a fazerem o 3-5 e o 3-6 por Carlo Di Benedetto e Gonçalo Alves, respetivamente (48′ e 49′). O resultado final do clásico foi 3-6 para os azuis e brancos e a “negra” que vai decidir esta meia-final do play-off do Campeonato Nacional joga-se a 3 de junho, no Dragão Arena. 

Hóquei em Patins

DECLARAÇÕES

Alejandro Domínguez (treinador do Benfica): “É difícil fazer uma análise quando estamos tão chateados, tristes e desiludidos. Tínhamos uma ocasião fantástica para irmos para a final, com dois jogos em casa, e não conseguimos. Nos dois jogos não conseguimos ser melhores, não conseguimos que a nossa defesa parasse os ataques do FC Porto, não conseguimos sair em transições e, sobretudo, não lhes conseguimos fazer a mesma mossa que eles nos fizeram em ataque organizado. Tentámos através de todas as combinações entre os nossos jogadores que temos no repertório. O responsável máximo pelo rendimento da equipa sou sempre eu, indiscutivelmente. Assumo essa responsabilidade. Temos alguns dias para trabalhar, levantar a moral e enfrentar 50 minutos que vão ser definitivos, e que vamos jogá-los fora de casa.” 

Benfica-FC Porto
3-6
Pavilhão Fidelidade
Cinco inicial do Benfica
Pedro Henriques, Valter Neves, Diogo Rafael, Ordoñez e Gonçalo Pinto 
Suplentes
 Marco Barros, Nicolía, Edu Lamas, Sergi Aragonès e Danilo Rampulla
Ao intervalo2-3
Golos do Benfica
 Sergi Aragonès (6′), Nicolía (23′) e Ordoñez (35′) 
Marcha do marcador
0-1, 1-1, 1-2, 2-2, 2-3, 3-3, 3-4, 3-5 e 3-6

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.