Benfica goleia Oliveirense e vai jogar meia-final do Campeonato com o FC Porto

Era o tudo ou nada! Benfica e Oliveirense entraram para o jogo 3 dos “quartos” com o pensamento na próxima fase, mas foram as águias que voaram para as “meias” do Campeonato de hóquei em patins. Várias exclusões, golos de bela execução, Valter Neves a inaugurar o marcador, Nicolía a abrir o livro e o Glorioso a vencer por 7-3.   

O jogo não podia ter começado melhor para os comandados de Alejandro Domínguez. Mais céleres e verticais, as águias chegaram ao golo inaugural por intermédio de Valter Nerves. O capitão das águias avançou pelo flanco direito, puxou para dentro e stickou rasteiro com o esférico a entrar junto ao poste direito (1-0 aos 4′).

Rampulla

A Oliveirense não baixou os braços e, após um contra-ataque muito bem executado, chegou ao tento da igualdade. Franco Ferruccio ganhou vários metros com a bola controlada, entregou em Jordi Bargalló e o atleta de 41 anos não perdoou. Um remate à meia-volta que saiu com uma velocidade superior à dos reflexos de Pedro Henriques (1-1 aos 11′). Em superioridade numérica, após o cartão azul mostrado a Danilo Rampulla, os nortenhos aproveitaram para passar à frente no marcador. Jogada composta por vários passes e um remate final protagonizado por Vítor Hugo (1-2 aos 16′).

O Benfica respondeu, partiu para cima e teve direito a uma grande penalidade aos 19′. Diogo Rafael, tal como tem vindo a ser hábito, foi o jogador escolhido para converter e não falhou. Remate rasteiro, potente e a contar (2-2 aos 19′). Marc Torra, em cima do sinal sonoro que levaria as equipas para os balneários, efetuou uma falta, viu o cartão azul e Ordoñez dispôs de um livre direto. Sem tempo no cronómetro para poder realizar uma das suas habituais jogadas, o camisola 9 teve de rematar direto. Nélson Felipe evitou o golo. Ao intervalo: 2-2.

No recomeço da partida o Benfica não conseguiu capitalizar enquanto jogou com mais uma unidade no rinque. Os dois minutos de exclusão terminaram, a Oliveirense reagrupou-se, mas foi mesmo o Glorioso que se colocou em vantagem. Edu Lamas esperou uma oportunidade para usar a sua meia-distância e, quando a teve, não desperdiçou. Uma stickada fulminante para o 3-2, aos 32′.

Diogo Rafael

Edu Lamas, após cometer falta, viu o cartão azul e o Benfica ficou a jogar em underplay. A Oliveirense beneficiou de um livre direto, mas Pedro Henriques foi imperial e negou as intenções. Uma excelente defesa com a mão esquerda a segurar a vantagem. Danilo Rampulla, endiabrado na segunda parte, “deu um nó” na defensiva contrária e conquistou uma grande penalidade. Diogo Rafael foi chamado a converter, porém, Nélson Filipe segurou o remate. A tentativa de afastar o esférico ficou curta e o número 4 aproveitou para bisar. Driblou, esperou o momento da queda do guardião e atirou a contar (4-2 aos 35′).

Os nortenhos arriscavam mais, o Benfica aproveitava para sair em contra-ataque e beneficiar com a situação. Aos 38, Sergi Aragonès sofreu falta na área, o árbitro apontou para a marca de grande penalidade, todavia Edu Lamas não conseguiu faturar. Aos 39′ foi a vez de Pedro Henriques ver o cartão azul, por falta sobre Ferruccio. Marco Barros entrou, esteve gigante na baliza e o Benfica novamente em underplay

Nicolía

Este era definitivamente o jogo das exclusões! A Oliveirense fez nova falta, ficou a jogar com menos uma unidade, mas a situação demorou poucos segundos, isto porque Carlos Nicolía decidiu colocar magia no encontro e, através de um livre direto, apontou o 5-2, aos 41′. Lucas Martínez reduziu aos 46′. Jogada rápida, vantagem no frente a frente com Pedro Henriques e estava feito o 5-3.

resposta foi pronta e o capitão das águias apareceu para avolumar o resultado. Valter Neves não desistiu, colocou o esférico por baixo do guardião e bisou na partida (6-3 aos 47′), contudo, o resultado ainda não estava fechado. Nicolía, aos 48′, voltou a dar um ar da sua graça e, na sequência de um livre direto, fez o sétimo golo dos encarnados no encontro. Resultado final: 7-3.

Nas meias-finais, que são disputadas à melhor de cinco jogos, as águias vão medir forças com o FC Porto. O primeiro clássico será fora de portas e é já neste sábado8 de maio.

Alejandro Domínguez

DECLARAÇÕES

Alejandro Domínguez (treinador do Benfica): “Foi uma eliminatória muito equilibrada entre duas equipas que lutam por títulos. O jogo 1 não foi bom, mas a equipa demonstrou, uma vez mais, ter um carácter bastante motivador. Tenho muita fé nesta equipa. Temos um carácter que me faz ter esperança. Jogámos várias vezes em underplay e a resposta da equipa foi extraordinária.”

Benfica-Oliveirense
7-3
Pavilhão Fidelidade
Cinco inicial do Benfica
Pedro Henriques, Valter Neves, Diogo Rafael, Lucas Ordoñez e Gonçalo Pinto
Suplentes
 Marco Barros, Carlos Nicolía, Edu Lamas, Sergi Aragonès e Danilo Rampulla
Ao intervalo2-2
Golos do Benfica
 Valter Neves (4′, 47′), Diogo Rafael (19′, 35′), Edu Lamas (32′), Carlos Nicolía (41′, 48′)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.