Benfica memorável goleia o Barcelona e joga com leões na meia-final da Liga Europeia

Após uma contundente goleada, a equipa de hóquei em patins do Benfica enfrentou esta noite (20h00) o Barcelona no Pavilhão Municipal do Luso no jogo 2 do Grupo C da Liga Europeia.

Face ao empate do Barcelona na passada sexta-feira, diante do Deportivo Liceo (2-2), basta aos encarnados empatarem frente à equipa catalã para garantir a presença na final four da prova, que se realiza a 15 e 16 de maio, também no Luso

A entrada do Benfica foi fulminante e gerou frutos logo no primeiro minuto do jogo. Diogo Rafael patinou a toda a velocidade, lançou-se no contra-ataque e não foi egoísta. Procurou a melhor opção e assistiu. Lucas Ordoñez fez o que melhor sabe e marcou à antiga equipa. Um remate junto ao poste direito que não deu hipóteses a Sergi Fernández (1-0). 

A resposta do Barcelona foi célere. Contra uma das melhores equipas do mundo não pode haver momentos de desconcentração, sob pena de se sofrer um golo… Rotação da equipa catalã com o último passe a pertencer a João Rodrigues. O atleta português, posicionado na tabela de fundo do lado esquerdo, esperou a entrada do colega de equipa e entregou o esférico. Panadero não se fez rogado e disparou de primeira para o empate (1-1).

O encontro mantinha-se bastante disputado e com boas situações para ambos os emblemas, mas, aos 11′Sergi Aragonès fez um bonito, ultrapassou Ignacio Alabart com qualidade, mas foi travado em falta no interior da área. A grande penalidade favorecia o Benfica, porém, ao contrário do que aconteceu no desafio contra o Liceo, Diogo Rafael não conseguiu bater o guardião contrário. Não capitalizou na marca de grande penalidademas não perdoou no ataque seguinte. O camisola 4 recuperou a bola em zona adiantada, foi em direção à baliza e quando todos os atletas, inclusive os do Barcelona, aguardavam a assistência, Diogo Rafael fez um golaço! Uma stickada perfeita com o esférico a ir ao encontro do ângulo direito da baliza (2-1). 

Aos 16′, o Barcelona poderia ter igualado novamente a contenda, porém, entre os postes encarnados, Pedro Henriques avolumava o seu número de defesas. Pablo Álvarez tentou a picadinha, na conversão de um livre direto, mas o guarda-redes encarnado não se deixou enganar e foi imperial entre os postes! A mira dos comandados de Alejandro Domínguez continuava bem calibrada e três minutos depois (19′), houve novo momento de magia no Pavilhão Municipal do Luso. Arranque de Diogo Rafael, bola para Ordoñez e depois o argentino tirou um coelho da cartola ao efetuar um passe por entre as pernas que isolou Gonçalo Pinto. Frente a frente com o guardião contrário o jogador das águias não vacilou e aplicou um remate rasteiro. Destino? O fundo das redes (3-1). 

A dois minutos do término da primeira parte a partida foi interrompida para assistência ao guarda-redes do Barcelona. Após o disparo de Gonçalo Pinto a bola bateu entre a máscara e o peito de Sergi Fernández. A equipa médica entrou, o guardião melhorou, mas não se apresentou em condições para continuar dentro do rinque. Ao intervalo: 3-1.

Os primeiros cinco minutos do segundo tempo mostraram uma equipa catalã mais decidida a partir para o ataque. O Barcelona colocou o pé no acelerador porque apenas a vitória interessava para as suas intenções. Aos 30′Pedro Henriques voltou a ser fulcral. Hélder Nunes, da marca de livre direto, disparou em direção à baliza encarnada, mas a muralha chamada Pedro Henriques estava mais sólida que nunca. 

A equipa espanhola mantinha mais posse de bola, todavia, não conseguia faturar. Aos 37′ e após um movimento ofensivo, não concretizado, do Barcelona, os encarnados partiram para o contra-ataque. A todo o vapor e a voarem para a vitória, sim, porque o Benfica só tinha olhos para o triunfo, as águias fizeram o quarto tento. Rampulla, no lado esquerdo, cruzou para o interior da área e a um esférico que vinha pelo ar, Sergi Aragonès respondeu com o toque para o interior da baliza (4-1).

Algumas faltas, vários livres diretos e Ordoñez a bisar. De livre direto poucos manobram como ele e, aos 39′, trocou as voltas a Aitor Egurrola. Antes de entrar a bola ainda bateu na barra, mas a execução ascendente aconteceu no momento certo (5-1). Os minutos passavam, as emoções aumentavam e o contra-ataque tornava-se na arma preferida do Clube da Luz. Aos 46′, e já isolado, Gonçalo Pinto encarou o guardião contrário e, com tempo para escolher a melhor trajetória, não vacilou. O Barcelona ainda deu um ar da sua graça nos momentos finais e, aos 49′, conseguiu marcar o segundo golo. Pablo Álvarez recebeu um passe que veio por detrás da baliza e, de primeira, conseguiu ser mais rápido que os reflexos de Pedro HenriquesResultado final: 6-2.

Benfica-Barcelona
6-2
Pavilhão Municipal do Luso
Cinco inicial do Benfica
Pedro Henriques, Valter Neves, Diogo Rafael, Lucas Ordoñez e Gonçalo Pinto
Suplentes
Marco Barros, Danilo Rampulla, Edu Lamas, Sergi Aragonès e Miguel Vieira
Ao intervalo3-1
Golos do Benfica
Lucas Ordoñez (1′, 39′), Diogo Rafael (13′), Gonçalo Pinto (19′, 47′), Sergi Aragonès (37′)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.