Futsal das águias já está na final da Taça da Liga após bater o Modicus por 2-0

A equipa de futsal do SL Benfica carimbou o passaporte para a final da Taça da Liga, após derrotar o Modicus (2-0) na meia-final. O duelo ficou resolvido com os golos de belo efeito de Robinho e Fábio Cecílio. 

Primeiros segundos com os dois técnicos a tentarem surpreender e a jogarem em 5×4 quando com bola. A primeira grande oportunidade pertenceu às águias, aos 2′, mas Fits, em boa posição, falhou o remate. Aos 8′, Bruninho, descaído para a direita, a disparar para vistosa intervenção de André Correia. Porém, o equilíbrio e muita luta na quadra por cada bola foram as notas dominantes nos 10 minutos iniciais. 

Aos 11′, Tiago Brito tentou sacudir as águas, com dois remates cheios de intenção, mas Hiram Celso esteve enorme entre os postes. Volvidos dois minutos, aos 13′, Marcinho teve a bola a saltitar à sua frente numa altura em que era só encostar para o fundo das redes, mas André Correia antecipou-se e evitou o golo do Modicus. Aos 15′, Fits, num movimento típico da direita para dentro, a atirar ao lado da baliza dos nortenhos. 

Nesta fase da partida, o Benfica estava por cima, acercava-se com perigo da área dos de Sandim e, aos 16′, foi a vez de Silvestre Ferreira assustar com um tiro que passou perto da baliza defendida por Hiram Celso. A resposta do Modicus apareceu aos 18′, por Ricardinho, mas André Correia opôs-se bem. Resultado ao intervalo: 0-0. 

Afonso Jesus

A etapa complementar arrancou praticamente com o tento inaugural da partida, e para o Benfica. Robinho, com um remate espontâneo na esquerda, a surpreender Hiram Celso e a fazer o 1-0, aos 21′. Após o golo, as águias ficaram mais confortáveis na quadra, tiveram mais posse de bola e até somaram incursões perigosas à área do Modicus. Ainda assim, os nortenhos queriam o empate e, aos 15′, Bruninho testou a atenção de André Correia na baliza do Benfica. 

Aos 29′, através de uma transição rápida conduzida por Bruninho, Cigano ficou em boa posição, mas o tiro saiu torto. No minuto seguinte, aos 30′, jogada individual de Fits, ultrapassou Uesler e acertou no poste da baliza do Modicus, equipa que ficou perto do golo, aos 32′, através de Fábio Lima, mas André Correia defendeu. Aos 33′, o 2-0 para o Benfica! Afonso Jesus descobriu Fábio Cecílio, o camisola 5 ultrapassou Hiram Celso e rematou para a baliza deserta

Para os derradeiros três minutos de jogo, o Modicus apostou no 5×4, com Uesler como guarda-redes avançado, e o golo quase surgiu por Óscar Santos, em duas situações, aos 37′ e aos 39′. Até ao fim, o resultado não mais se alterou. O Benfica triunfou por 2-0 e marca encontro com o Sporting na final, domingo, às 18h00, em Sines.  

Joel Rocha

DECLARAÇÕES

Joel Rocha (treinador do Benfica): “Em primeiro lugar, dar os parabéns à equipa do Modicus, encarou o jogo olhos nos olhos, foi uma equipa sempre muito corajosa, extremamente personalizada e criou-nos muitas dificuldades, mas também enaltecer e dar os parabéns aos nossos jogadores e à nossa equipa. É nas dificuldades, nas adversidades e quando somos colocados à prova que se veem a qualidade técnica, o carácter, a personalidade e a estabilidade emocional em momentos de exigência elevada, e nisso a equipa do Benfica foi sempre muito inteligente. Nem sempre jogou bem, algumas vezes jogou mal e feio, e nós não gostamos, mas nestes jogos, a competir, temos de associar o pragmatismo. Justificámos a vitória, independentemente do número de golos marcados, e conseguimos manter a baliza a zeros, muitas das vezes com base na superação quando a organização não foi capaz de resolver. Na segunda parte o Benfica subiu os seus níveis de concentração, foco, disponibilidade a defender e sobretudo a atacar. Na primeira parte a bola andou pouco e assim tornámo-nos demasiado previsíveis, fomos muito estáticos. Na segunda parte já foi diferente, o golo a abrir a segunda parte também desbloqueou. O Benfica tem uma ambição muito vincada de conquistar o troféu amanhã [domingo], mas o troféu é após o jogo terminar. Temos de estar preocupados e focados durante o jogo para controlarmos as nossas tarefas, podermos ser fortes, capazes e inteligentes, perceber quando estamos bem, quando estamos melhor, porque este jogo é dos mais exigentes que temos.”

André Correia (guarda-redes do Benfica): “Viemos a Sines para ganhar o troféu, esse é o objetivo, mas sabíamos que primeiro tínhamos de ganhar na sexta-feira para jogar no sábado, e consequentemente ganhar no sábado para poder jogar no domingo e estar na final. Conseguimos. Agora é descansar e amanhã [domingo] dar o máximo para levarmos um troféu para o nosso Museu.” [A final frente o Sporting] Vai ser o melhor jogo do mundo, como dizemos em Portugal. É o melhor dérbi que se pode jogar e vamos estar preparados para enfrentar o eterno rival, vencer e conquistar mais um troféu.”

Benfica-Modicus
2-0
Pavilhão Multiusos de Sines
Cinco inicial do Benfica
André Correia, Afonso Jesus, Robinho, Chishkala e Fits
Suplentes
Martim Figueira, Silvestre Ferreira, Fábio Cecílio, Tiago Brito, Arthur, Rafael Henmi e Nilson
Ao intervalo0-0
Marcadores do Benfica
 Robinho (21′) e Fábio Cecílio (33′)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.