Julgamento do roubo dos emails ao Benfica terá lugar em Lisboa

O Ministério Público (MP) tem a mesma posição que Benfica para que a instrução do processo da divulgação dos e-mails, com Francisco J. Marques, Júlio Magalhães e Diogo Faria como arguidos, seja realizada em Lisboa, em vez de Matosinhos. Em causa está a lei da televisão, onde consta que as diligências devem ser realizadas na comarca do domicilio do ofendido. Neste caso, a morada do Benfica no Estádio da Luz, em Lisboa.

A procuradora Adília Cândido, do Tribunal de Matosinhos, entende que os crimes de violação de correspondência e de devassa da vida privada, assim como o de ofensa a pessoa coletiva foram cometidos através da televisão.

Embora a divulgação fosse emitida através dos estúdios do Porto Canal, em Matosinhos, o MP entende que os ilícitos imputados aos arguidos relevam dos direitos da personalidade, como bom nome e reputação. Assim, entende dever aplicar-se uma norma que dita ser na comarca do domicílio do ofendido que devem ser realizadas as diligências.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.