Benfica B bate o Mafra com golos de bola parada para Jorge Jesus ver

Os lances de bola parada foram protagonistas – as águias somam oito tentos no Campeonato desta forma – e determinantes no desfecho do Benfica B-Mafra da 21.ª jornada da II Liga. Os encarnados, comandados por Nélson Veríssimo, triunfaram por 2-0, alcançaram o oitavo jogo seguido a pontuar e deixaram a baliza imaculada pelo terceiro encontro consecutivo.

Os minutos iniciais da partida foram bastante animados… Gonçalo Ramos, lançado no onze inicial, sobressaiu em dois lances de perigo iminente. No primeiro minuto, Tiago Gouveia aproveitou uma falha de Tomás Domingos, assumiu a posse do esférico e, descaído para o flanco esquerdo, centrou para o interior da área. Gonçalo Ramos movimentou-se numa zona que conhece bem e rematou em direção ao canto inferior direito. Pedro Barcelos, em cima da linha de golo, afastou o perigo. No segundo minuto, o camisola 88 voltou a antecipar-se à defesa contrária, desviou para a baliza, porém, Carlos Henriques, com reflexos rápidos, negou o golo.

Os forasteiros aumentaram a intensidade e criaram os primeiros calafrios à defensiva encarnada. Tomás Domingos realizava algumas incursões pelo lado direito, mas Svilar defendia sempre que era chamado a intervir. Aos 13′, Rodrigo Martins fletiu do lado direito para dentro, rematou com o pé esquerdo, e o guardião benfiquista estirou-se e defendeu. O esférico sobrou para Okitokandjo, mas o ponta de lança, atrapalhado pela ação de Svilar, não converteu a oportunidade.

Benfica B-Mafra 21.ª jornada II Liga

O jogo ficou mais amarrado e preso a meio-campo, contudo, essa situação viria a sofrer alterações no minuto 35Vukotic fez um passe adocicado para Umaro Embaló, o dianteiro galgou alguns metros, centrou no momento certo e Gonçalo Ramos, dentro da área, sofreu falta. Prontamente o árbitro apontou para a marca de grande penalidade. Chamado para a conversão, Gonçalo mostrou frieza e atirou para o meio da baliza (1-0 aos 35′). Até ao término da primeira parte o Mafra ainda tentou chegar ao golo da igualdade, todavia, o Benfica B ia afastando o esférico com segurança. Ao intervalo: 1-0.

Benfica B voltou a entrar muito bem na partida. Céleresdescomplicadas e a saber o que fazer dentro das quatro linhas, as águias chegaram, com justiça, ao 2-0 – este foi o segundo golo de bola parada no desafio, o oitavo na presente edição da II Liga. Descaído no flanco direito, Vukotic bateu o livre para o interior da área. Bola “cortada”, tensa e com a trajetória certa para fazer estragos. Diogo Mendes, ao primeiro poste, antecipou-se à defesa e “penteou” o esférico para o interior da baliza. Carlos Henriques ainda se esticou, mas nada conseguiu fazer (2-0 aos 51′).

Benfica B-Mafra 21.ª jornada II Liga

O terceiro podia ter chegado aos 60′, mas o remate de Umaro Embaló, dentro da área, levou pontaria a mais e acertou no poste direito. Nota para o excelente passe de Vukotic, que, de primeira, desmarcou o camisola 85 com um toque subtil. No minuto seguinte (61′), Nélson Veríssimo viu-se obrigado a mexer na equipa. Gonçalo Ramos lesionou-se e teve de abandonar a partida. Henrique Araújo foi o homem escolhido para entrar para o seu lugar.

Benfica B mantinha as suas linhas bem posicionadas, geria as ocorrências e sobretudo a posse de bola, porém, procurando dar mais frescura à sua equipa, o treinador benfiquista optou por colocar outra peça em campo. Aos 78′Luís Lopes entrou para o lugar de Tiago Gouveia. A equipa forasteira, desgastada pelo que tinha de correr atrás do esférico, não conseguia, nesta segunda parte, colocar verdadeiramente à prova o guarda-redes Svilar.

O ritmo da partida, que, entretanto, já contava com as presenças de Rafael BritoTomás Azevedo e Fábio Baptista (entraram para os lugares de Diogo MendesVukotic e Umaro Embaló), abrandou. O último interveniente esteve perto, aos 90′, de juntar o seu nome à lista dos marcadores, contudo, o guardião do Mafra fez a mancha e conseguiu desviar o remate de Fábio Baptista. O Benfica B controloudemonstrou mestria nos lances de bola parada e carimbou o triunfo na 21.ª jornada da II Liga (oitavo jogo consecutivo a pontuar, terceiro seguido sem sofrer golos). Resultado final: 2-0.

Benfica B-Casa Pia

DECLARAÇÕES

Nélson Veríssimo (treinador do Benfica B): “Tivemos uma entrada muito boa, criámos duas ocasiões para marcar, mas depois o Mafra conseguiu equilibrar o jogo a meio da primeira parte e esse foi o momento mais difícil que tivemos. Este adversário, além de ter bons jogadores, tem um treinador com muita qualidade e capacidade. Sabíamos que em alguns momentos iríamos ter dificuldades naturais perante uma equipa que também gosta de ter bola. Chegámos ao golo ainda na primeira parte, e no intervalo fizemos um acerto no posicionamento defensivo e isso teve consequência na segunda parte e a forma como nos atirámos ao jogo. O segundo golo deu-nos a tranquilidade necessária para enfrentar o tempo que faltava. Estão todos de parabéns, pelo que têm trabalhado nos treinos, pelo crescimento, pela mentalidade competitiva e maturidade que têm revelado nestes últimos jogos. Baliza a zero? Fico satisfeito, a solidez defensiva permite à equipa ter alguma segurança no seu jogo ofensivo. É normal que, jogo após jogo sem sofrer golos, haja um acréscimo de confiança. Os rapazes estão todos de parabéns, os que jogaram e os que não jogaram.”

Benfica B-Mafra 21.ª jornada II Liga

Diogo Mendes (médio do Benfica B, Melhor em Campo): “Foi uma vitória justa. Fomos superiores em ambas as partes, mas um pouco mais na primeira. Tivemos mais oportunidades que o Mafra. É sempre bom marcar golos, mas o mais importante é ajudar a equipa. Estou muito feliz por ter ajudado da melhor forma.”

Umaro Embaló (médio do Benfica B): “Entrámos muito fortes. Tivemos duas oportunidades logo no início do desafio, mas não marcámos logo. São alguns jogos sem perder. Agora é continuar a trabalhar, dar continuidade e tentar fazer os três pontos a cada jogo. Estive quatro meses parado, mas sinto-me muito feliz por estar de regresso e poder ajudar a minha equipa.”

Benfica B-Mafra, 2-0

FICHA 
LocalBenfica Campus, Campo n.º 1
Onze do Benfica BSvilar, João Ferreira, Tomás Araújo, Morato, Sandro Cruz, Diogo Mendes (Rafael Brito, 87′), David Tavares, Vukotic (Tomás Azevedo, 87′), Umaro Embaló (Fábio Baptista, 87′), Tiago Gouveia (Luís Lopes, 78′) e Gonçalo Ramos (Henrique Araújo, 61′)
SuplentesLeo Kokubo, Kalaica, Tomás Azevedo (87′), Fábio Baptista (87′), Pedro Ganchas, Rafael Brito (87′), Gerson Sousa, Luís Lopes (78′) e Henrique Araújo (61′) 
Boletim clínicoDiogo Capitão (status pós-cirúrgico ligamentoplastia do cruzado anterior no joelho esquerdo); Jair Tavares (lesão muscular na coxa direita); Godfried Frimpong (lesão muscular na coxa esquerda); Pedro Álvaro (lesão muscular na coxa direita); Daniel Dos Anjos (miocardite aguda pós-infeção por COVID-19); Paulo Bernardo (contusão do tornozelo direito); Carlos Santos (amigdalite aguda)
Ao intervalo1-0
Golos do Benfica BGonçalo Ramos (35′) e Diogo Mendes (60′)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.