Jorge Jesus explica opção táctica frente ao Arsenal e a falta de sorte das águias

O empate (1-1) entre o Benfica e o Arsenal, no Estádio Olímpico de Roma, deixa “tudo em aberto” para a Grécia. Esta é a opinião de Jorge Jesus e que ficou espelhada na análise feita pelo técnico no final da partida da primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa.

Em conferência de Imprensa, o timoneiro das águias lembrou a qualidade dos londrinos, que não venceram pela primeira vez nesta prova; explicou a aposta num sistema com três defesas-centrais e elogiou a estreia de Lucas Veríssimo; abordou, ainda, a titularidade de Helton Leite na baliza benfiquista.

Benfica Arsenal 16 avos Liga Europa

Benfica melhor na segunda parte

“Não é um grande resultado. Um grande resultado seria ganhar, mas jogámos com o Arsenal e não com uma equipa qualquer. Foi pena, porque marcámos primeiro e sofremos um golo no nosso melhor período. Um ressalto de bola em momentos em que era preciso ter sorte… A equipa esteve forte defensivamente, esteve muito bem organizada coletivamente. Percebeu os movimentos e a forma de jogar deste Arsenal. Fomos dividindo o jogo. Numas partes do jogo, o Arsenal teve mais posse de bola, mas consentida por nós. Estivemos melhor na segunda parte do que na primeira e, depois do golo, deveríamos ter segurado o resultado [de 1-0]. Penso que o empate é justo.”

“A equipa soube defender com três jogadores e quando teve de defender com cinco também o soube fazer. Soube afundar o adversário na profundidade e na largura. Ofensivamente, não falhou nada. Não fomos tão fortes, porque o Arsenal tem dois centrais fortes. Não criámos tantas situações de finalização porque enfrentámos uma linha defensiva de quatro jogadores com muita qualidade. Não agredimos o Arsenal tanto quanto queríamos ofensivamente, mas as entradas de Rafa e de Everton foram positivas para a nossa equipa. Mudámos o posicionamento e criámos mais problemas ao adversário.”

Equipa reunida

Primeiro jogo do Arsenal sem vencer na Liga Europa

“O Arsenal teve hoje [quinta-feira] o primeiro jogo que não ganhou nesta Liga Europa. Não ganhou porque o Benfica marcou primeiro e esteve a ganhar. Foi um jogo muito bem disputado. O Arsenal é uma grande equipa, foi feita para disputar os primeiros lugares da Premier League, mas não está lá [está em 10.º lugar]. Está na Liga Europa e tem aqui uma possibilidade de estar na Champions através da conquista desta Liga Europa. Jogámos em Itália como se fosse a nossa casa, mas não é a nossa casa. Não teríamos adeptos no Estádio da Luz, é verdade, mas a luz de Lisboa, o cheiro de Lisboa… o jogo seria diferente. Os jogadores do Arsenal sabem que o segundo jogo vai ser dividido. Antes deste jogo sabíamos que esta eliminatória ia ser disputada por duas grandes equipas.”

Otamendi

Aposta num sistema com três centrais

“O facto de terem jogado três jogadores no corredor central [Lucas Veríssimo, Otamendi e Vertonghen], e em relação às dinâmicas defensivas, há várias formas de defender. Umas vezes defendemos com três, outras com cinco jogadores. Neste jogo fomos mais vezes obrigados a defender com cinco. O futebol moderno é: jogar hoje com três centrais, amanhã com dois; é jogar hoje em 4x4x2, amanhã em 4x3x3. Isso é o futebol moderno no mundo.”

Benfica-Arsenal

Estreia de Lucas Veríssimo

“O Lucas Veríssimo demonstrou que é um grande jogador. Teve de sair porque fisicamente ainda não estava pronto, e eu sabia disso. Tem uma boa saída de bola, é forte no 1×1. Demonstrou que tem qualidade e que podemos contar com ele.”

Helton Leite

Elogios à exibição de Helton Leite

“O Helton esteve bem. Tudo o que fez, fez bem. O Arsenal não o pôs muito à prova, mas jogou bem fora da baliza quando teve de sair. Entre os postes esteve sempre bem também! Vinha a dar indicações que estava a atravessar uma boa fase, o Odysseas também. Temos três bons guarda-redes. Os dois tiveram COVID-19 e aproveitei o que regressou melhor. Fez um jogo normal com o Estoril [Taça de Portugal] e hoje [quinta-feira], contra uma equipa que nos poderia criar mais situações de finalização, também esteve bem.”

Rafa

Três atacantes que entraram com as substituições

“O que é arriscar mais? Colocar em jogo mais jogadores de características ofensivas? Se é isso, coloquei três avançados frescos: Seferovic, Rafa e Everton. Se é por aí, se calhar tenho de colocar mais avançados, devia ter colocado mais um e jogar com quatro avançados. O nosso melhor período ofensivo foram os últimos 20 minutos, com o Rafa e o Everton a serem objetivos e dinâmicos.”

Benfica-Arsenal

Na Grécia é para marcar

“É igual [na segunda mão]. Jogámos em campo neutro em Roma e vamos ter outro jogo na Grécia, também em campo neutro. Está tudo em aberto, temos as mesmas possibilidades. Falta a segunda mão e acreditamos que temos possibilidades de passar esta eliminatória, mas temos noção que o Arsenal é uma grande equipa. Vamos à procura de ganhar e de fazer golos na Grécia. Sabemos que vamos jogar contra uma equipa com grandes jogadores.”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.