João Félix salta do banco para assistir para o golo da vitória colchonera

O Atlético Madrid venceu este domingo, em Vitória, o Alavés por 2-1, em jogo da 17.ª jornada, e recuperou a liderança da liga espanhola ao rival Real, com dois pontos de avanço e menos dois jogos realizados.

O primeiro golo dos Colchoneros surgiu aos 41 minutos, depois de um erro dos bascos a meio-campo. Luis Suárez recuperou a bola e serviu Marcos Llorente, que a conduziu até à entrada da área e aí rematou com o pé esquerdo, sem hipótese para Fernando Pacheco. Foi o quinto golo de fora da área do internacional espanhol em todas as competições desde o início de 2020, e o nono desta época, igualando João Félix como melhor marcador da equipa no campeonato.

O avançado português entrou aos 62 minutos para o lugar de Ángel Correa e teve uma primeira oportunidade para visar a baliza, após um livre direto de Lemar, defendido de forma incompleta por Pacheco. Sem ângulo, e com a bola no pé esquerdo, não conseguiu fazer melhor do que obrigar a nova defesa do guarda-redes.

A partida fica marcada pela expulsão de Victor Laguardia aos 63 minutos, que derrubou Lemar quando este se isolava para a baliza.

Mesmo com dez jogadores apenas, o Alavés ainda colocou o resultado em causa. Primeiro, assustou, com Lejeune a saltar mais alto do que Felipe e a acertar na base do poste esquerdo de Jan Oblak, após um livre de Lucas Pérez. Depois, foi mesmo o antigo central do FC Porto a introduzir a bola na própria baliza, após cruzamento de trivela da esquerda de Joselu.

Em cima dos 90 minutos, o também suplente utilizado (entrou aos 82 minutos) Saúl Níguez colocou a bola em João Félix, que, sobre a esquerda, cruzou para o segundo poste com o pé esquerdo, onde Suárez confirmou o triunfo.

Félix ainda teve uma grande oportunidade para marcar, mas atirou por cima, com o pé esquerdo, depois de servido pelo uruguaio.

Tomás Tavares, jovem defesa emprestado pelo Benfica ao Alavés, não foi utilizado por Pablo Machín.

João Félix começou a partida frente ao Alavés (1-2) no banco, mas entrou e fez a assistência para o golo da vitória do Atlético Madrid. Diego Simeone explicou que a decisão de deixar o português como suplente foi uma questão de estratégia.

«A razão de João Félix ter sido suplente? Foi uma escolha. Entendi que Correa trabalhou muito bem pela direita, como fez diante da Real Sociedad. Era um jogo duro e tive de escolher jogadores para a minha estratégia. João Félix entrou depois e esteve muito bem, tal como o Saúl, e fico contente com isso», clarificou o treinador argentino, em declarações à imprensa espanhola.

O Atlético Madrid alcançou uma importante vitória, mas não foi nada fácil.

«A liga espanhola é complexa, tem armadilhas e é preciso estar preparado. Não podes dar espaços ou estar desconcentrado. Todas as equipas querem ganhar e, na segunda volta, não vai existir a mesma tranquilidade. Vai ser mais duro, com equipas a lutar pela salvação e pela Europa.»

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.