Benfica de Jesus de duas partes distintas

O Benfica foi para o intervalo em desvantagem pela quinta vez esta temporada, e, pela quarta vez com esse resultado, Jorge Jesus mexeu ao intervalo. Só na Escócia, com o Rangers, é que o Benfica foi para o balneário a perder e Jesus não mexeu na equipa. Com o Paços de Ferreira as mexidas possibilitaram a reviravolta. Gabriel, um dos jogadores que o treinador lançou ao intervalo, fez a assistência para o golo da vitória, de Waldschmidt, outro suplente.No reinício da partida, Jorge Jesus deixou Weigl e Pizzi no balneário, e lançou Gabriel e Seferovic. O técnico justificou as alterações com falta de andamento da equipa, referindo-se ao alemão e também a Taarabt, este só substituído aos 79 minutos. Durante a segunda parte ainda entraram Waldschmidt, Chiquinho e Pedrinho.

O encontro com o Paços de Ferreira acentuou a tendência de Jesus mexer logo ao intervalo. Tendência crescente nos últimos jogos, com o desgaste de partidas sucessivas a fazer-se sentir e também descontentamento por alguns aspetos do jogo. A fluidez de jogo a meio-campo tem sido um dos aspetos a rever.
Nas duas primeiras ocasiões em que Jorge Jesus mexeu no fim dos 45 minutos, fê-lo com apenas uma alteração e por motivos físicos. Pedrinho estava lesionado e foi rendido por Rafa com o Standard Liège.

Com o Boavista, a perder por 0-2 ao intervalo, Jesus fez logo três substituições e mexeu no meio-campo, com Weigl no lugar de Gabriel. Mas o Benfica perdeu mesmo com o Boavista. No jogo seguinte com o Rangers, novamente em desvantagem no intervalo, Jesus mexeu logo e trocou os laterais, com Grimaldo e Gilberto nos lugares de Nuno Tavares e Diogo Gonçalves. O encontro terminou empatado. Três dias depois, e de novo a perder ao fim dos primeiros minutos, o treinador do Benfica fez duas substituições ao intervalo. O meio-campo continuou a ser um dos setores visados, na altura com Samaris a ser rendido por Gabriel. Mas as alterações não ajudaram ao maior objetivo, e o Benfica somou mais uma derrota.

Além disso, o encontro com os pacenses reforçou outra tendência, a de que as primeiras partes estão a resultar em partidas em falso. Nos últimos oito jogos, entre Liga, Liga Europa e Taça de Portugal, o Benfica foi para o balneário em desvantagem cinco vezes: com Boavista, Rangers, SC Braga, Rangers e Paços de Ferreira. E só estava a vencer Paredes e Lech Poznan em casa.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.